CAIXA MÁGICA ◾ CAOS DO SODRÉ

Fotografia da minha autoria



«Uma viagem pelas histórias mais inacreditáveis»


Os locais têm uma essência singular: pelas suas características arquitetónicas e estéticas, pelos detalhes que só encontramos por lá e, sobretudo, pelas suas pessoas - quer as residentes, quer as que estão de passagem. Porque imprimem uma aura que transita por distintas gerações. E é lindíssimo ver como há memórias que se partilham e como as próprias traçam a passagem do tempo, privilegiando a alma desses sítios emblemáticos.

Carolina Torres, «nome incontornável do entretenimento da última década», depois de conhecer o dono do Ménage, do Viking e de outros bares, assumiu o compromisso de documentar a história da noite do Cais do Sodré, sempre regada de álcool, melancolia, acontecimentos insólitos e fragmentos boémios memoráveis.

Se estas paredes falassem, contariam, de certeza, muitas histórias. O ditado é antigo, porém, acredito que se adequa a este projeto, até porque a jovem portuense proporcionou-nos isso mesmo: através das vozes dos donos dos estabelecimentos, dos empregados de balcão, dos porteiros, dos músicos, dos DJ's e de outros protagonistas que estiveram ligados ao Cais temos acesso a testemunhos únicos acerca da sua mística.



O CAOS DO SODRÉ

O documentário leva-nos numa viagem pelas décadas de 70, 80 e 90, mostrando-nos o foco na prostituição e a travessia para um lugar de convívio e de cultura, por onde «passaram poetas e assassinos, concertos», «música fixe, rock, pessoal da rádio e jornalistas». Nesta ilha dentro da cidade, há uma ligação com o mundo.

Nunca estive no Cais do Sodré, portanto, só conheço a sua energia por visões e comentários alheios, e é fácil compreender que existem muitos preconceitos em relação a este local, no qual a vida noturna também ficou marcada por violência, excessos e mitos. É por esse motivo que considero fundamental existirem trabalhos desta natureza: porque nos revelam o outro lado, porque contextualizam situações e porque nos permitem conhecer a verdade dos factos - sem romantismos, talvez com uma certa nostalgia. Embora seja uma produção «com zero rigor histórico e um budget de projeto-escola», tem charme e, ademais, autenticidade.

A mutação do Cais é inegável e evidenciada a cada intervenção dos convidados. Ainda assim, achei curioso que, direta ou indiretamente, todos destacassem que é um dos sítios mais democráticos de Lisboa, com a capacidade de acolher todo o tipo de almas, sem julgamentos, alertando-nos para as realidades complexas. Além disso, era palco de possibilidades e de uma multiculturalidade fascinante. No Cais, tudo podia acontecer.


As peripécias deste vilarejo junto ao Tejo, que envolvem marinheiros, o assassino de Martin Luther King e muita música, transmitem saudade pelo passado e pela incerteza do futuro. Ninguém sabe o que será do Cais do Sodré, tendo em conta a sua higienização, a adesão turística e o seu crescente lado comercial, e acho que essa preocupação - e, até, desanimo - é palpável. Porque fica a ideia que está a perder a sua identidade.

Caos do Sodré talvez seja uma despedida coletiva, mas será, sem dúvida, uma carta de amor a um espaço que teve tanto de libertino, como de porto seguro; que teve tanto de sujo, como de criativo. Há capítulos que se encerram lentamente, mas as memórias perduram no tempo. E, creio, mesmo que o Cais deixe de ser o que é, levando-os para longe, encontrarão maneira de regressar a esta casa que soube acolhê-los de braços abertos.

24 comments

  1. Fiquei mesmo curiosa com este documentário. Não conhecia. Vou levar para ver.

    Boa semana, minha querida. Beijinho grande!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aconselho, muita querida, está incrível!

      Obrigada e igualmente

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Dá-nos várias perspetivas interessantes!
      Obrigada e igualmente

      Eliminar
  3. Acredito que seja um documentário muito interessante de ver.
    Cumprimentos poéticos

    ResponderEliminar
  4. Obrigada por partilhar! Boa semana!
    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  5. Quero muito ver :) Muito obrigada pela partilha *.*

    ResponderEliminar
  6. Hum, que ainda não conhecia, mas vou acabar por levar a sugestão
    Beijinhos
    Novo post
    Tem Post Novos Diariamente

    ResponderEliminar
  7. Thank you for sharing.
    www.rsrue.blogspot.com

    ResponderEliminar
  8. Andreia é um documentário muito interessante, fiquei curiosa bjs.

    ResponderEliminar
  9. Ainda não vi, talvez lhe dê uma oportunidade.

    Segue-me:
    Blog | Instagram

    ResponderEliminar