LER A DIFERENÇA || CORPO CASA

Fotografia pessoal



Tema: Positividade Corporal

Avisos de Conteúdo: Depressão, Racismo, Violação


A minha relação com a imagem refletida no espelho nem sempre foi pacífica. Aliás, continua a ser um processo, porque nunca está concluído. A diferença é que aprendi a respeitar as suas metamorfoses e, sobretudo, compreendi que é uma questão que vai muito além do peso e do número na etiqueta. Portanto, conversar sobre positividade corporal é alargar o espectro e fazer uma viagem introspetiva, cimentando uma ligação saudável com as nossas curvas - externas e internas. Para tal, regressei à sublime arte de Rupi Kaur.

«a minha mente está sempre a fugir para cantos escuros»

Corpo Casa divide-se em quatro partes fundamentais: mente, coração, descanso, despertar. E é através delas que sentimos a oscilação entre estados de espírito antagónicos. Porque os versos da autora sugam-nos para um lugar sombrio, abusivo e sufocante, ao mesmo tempo que, devagar, nos libertam e nos envolvem numa onda de luz e esperança. Por consequência, mergulhamos num regresso ao passado, sentindo o medo, a pressão, a vergonha e a sensação de insuficiência, para, de seguida, assumirmos a urgência de redefinir o presente - que nunca deixará de ser marcado por todas as feridas e traumas que têm espaço na nossa história.

«o meu corpo veste tudo aquilo por que passou»

É impressionante como esta obra é tão dolorosa e viciante. Porém, esta dicotomia é fruto da escrita crua e sempre certeira de Rupi Kaur. Porque, em poucas palavras, tece o panorama que nos faz refletir sobre direitos sociais, flagelos ambientais, exploração laboral, relações tóxicas, depressão e sobre o quanto se despreza, ainda, o testemunho das mulheres. Além disso, é notório que a sua poesia tem dois propósitos basilares: desabafar e denunciar, pois é desta maneira que combatemos o perigo, a malvadez e os vários tipos de abuso.

«aquele que eu mereço
verá a minha grandeza e
quererá elevá-la ainda mais»

Num ciclo em que quebramos, sobrevivemos e renascemos, há espaço para perceber que dar voz à nossa vulnerabilidade pode ser o segredo para apaziguar as dúvidas e as dores que se entranham em nós. E há tempo para descobrir que o amor próprio é a peça central para a nossa cura, para aceitarmos a mudança e para fazermos do corpo o lar mais precioso, porque é o que existe no interior que nos catapulta para o mundo.

«e eu envelheci
à procura da felicidade
em lugares onde ela não existia»

Corpo Casa é uma conversa intima sobre empoderamento, resiliência, produtividade, adaptação cultural e cobrança, intercalando temas comuns aos poemas da autora, enquanto abre a porta a novos tópicos. Colocando uma bandeira no feminismo e na importância de cuidarmos do nosso bem-estar, apela para que façamos as pazes connosco, libertando-nos de fantasmas passados e diminuindo o peso daquilo que não controlamos. Porque o potencial do nosso eu está, apenas, à distância de tudo o que existe na nossa alma; nesta casa que habitamos e que merece especial atenção. Além do mais, nunca estaremos sós nesta luta.

«- não vais a lado nenhum sozinha»


// Disponibilidade //

Wook: Livro | eBook
Bertrand: Livro | eBook

Nota: O blogue é afiliado da Wook e da Bertrand. Ao adquirirem o[s] artigo[s] através dos links disponibilizados estão a contribuir para o seu crescimento literário - e não só. Muito obrigada pelo apoio ♥

14 comments

  1. Não conhecia este livro, fiquei curiosa. Vou levar a sugestão.

    Beijinho grande, minha querida!

    ResponderEliminar
  2. O nosso corpo é mesmo a nossa casa <3 Quero muito ler :) Muito obrigada pela sugestao <3

    ResponderEliminar
  3. Acredito que seja um livro muito interessante de ler. Vou procurar adquirir...
    .
    Cumprimentos
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderEliminar
  4. Posso te dizer que ainda não tinha ouvido falar desse livro, mas parece ter uma história bem bonita
    Beijinhos
    Novo post
    Tem post novos todos os dias

    ResponderEliminar
  5. Esses livros de auto ajuda são óptimos, a minha relação com o espelho nunca foi pacifíca, também!
    xoxo

    marisasclosetblog.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um livro de poesia, não sinto que se enquadre bem nos de auto ajuda.
      É um processo sempre em movimento

      Eliminar
  6. Parece interessante, não conhecia!

    ResponderEliminar