ALMA LUSITANA || SINTRA:
ENTRE O DESERTO E A MONTANHA

Fotografia da minha autoria



Tema: Um livro de poesia


Os recantos de Sintra fizeram sempre parte do meu imaginário, porque têm uma luz e uma energia que parecem transportar-nos para um conto de fadas. Quando o nosso encontro se proporcionou, conquistando-me, percebi que é um lugar tão deslumbrante, que senti o ímpeto de a descrever em verso. Por isso, o tema para a acompanhar, no Alma Lusitana, só poderia ser um: poesia. E apanhei boleia do Gonçalo Câmara.

«estou condenado à minha existência
mas sinto que me fujo aos poucos»

Entre o Deserto e a Montanha é um mundo de extremos, no qual deambulamos por poemas mais extensos e versos soltos, mostrando-nos que o curso da vida se assemelha a esta imagem. Porque não há travessias idênticas, dependendo de observações, emoções e inquietações pessoais. Além disso, leva-nos a refletir sobre as pequenas coisas do quotidiano, compreendendo que escondem apontamentos de uma beleza singular. Alternando entre o fugaz e o eterno, é surpreendente a quantidade de vozes que cabem neste manuscrito.

«há de chegar o dia
em que a brisa te levará as palavras
e será o silêncio a contar as histórias»

A poesia «é outra forma de viajar». Mesmo sem identificarmos essas paragens, nesta obra estão poemas que foram escritos durante a passagem de Gonçalo Câmara pelo Sri Lanka, pelo Uzbequistão, pelo Quirguistão, pelo Turcomenistão, pela Colômbia e pela Patagónia. E é na procura pelas palavras que vamos descobrindo a sua forma de pensar - que pode ou não corresponder à dos leitores - e distintos estados de espírito. E esta é uma das razões pelas quais me rendi à sua escrita: porque tem tanto de intimista, como de transversal.

«a poesia é onde eu quero ir
quando nada mais for»

Entre o Deserto e a Montanha divide-se em três pontos centrais - Partida, Deserto, Montanha - e faz-nos reconsiderar as metamorfoses que o ser humano experiencia, sobretudo, quando se fala de amor - próprio ou pelos outros. Com um toque ora suave, ora complexo, é um retrato emocional e metafórico, que nos permite saltar fronteiras, só - e como se isso fosse pouco - para descobrirmos um pouco mais sobre quem somos.

«às vezes só precisava de um lugar
onde pousar o silêncio»


Disponibilidade: Wook | Bertrand

Nota: O blogue é afiliado da Wook e da Bertrand. Ao adquirirem o[s] artigo[s] através dos links disponibilizados estão a contribuir para o seu crescimento literário - e não só. Muito obrigada pelo apoio ♥

20 comments

  1. Não conhecia o autor, mas parece-me um livro fantástico. Vou levar a sugestão.

    Beijinho grande, minha querida!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Recomendo imenso! Tanto este, como A Árvore Que Não Fazia Sombra :)

      Eliminar
  2. Não conhecia. Obrigada por mais uma sugestão :)

    ResponderEliminar
  3. Bom dia:- Sendo um livro de poesia é de certeza absoluta - para quem gosta do género - um livro fascinante de ler.
    .
    Saudações … um dia feliz
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderEliminar
  4. Sintra é de facto um lugar maravilhoso (vivo por perto, sou suspeita eheh)
    Gostei muito do post e das mudanças aqui no blog :)

    ResponderEliminar
  5. Que te posso dizer que ainda não conhecia de todo esse livro, mas adorei conhecer um pouco mais da história e da tua opinião
    Beijinhos
    Novo post
    Tem post novos todos os dias

    ResponderEliminar
  6. Parece ser um livro incrível! :)
    beijinhos

    www.amarcadamarta.pt

    ResponderEliminar
  7. Não conheço os livros mas gostei da review.
    Beijinhos
    Coisas de Feltro

    ResponderEliminar