UMA DÚZIA DE LIVROS // DEZEMBRO

Fotografia da minha autoria



Tema: Um livro protagonizado por uma criança


A voz de uma criança preserva a inocência que mantém a nossa jornada genuína, porque a sua visão é pura. No entanto, crescer em sociedade mostra-nos uma diversidade de valores que nem sempre compreendemos, até pela sensação de não serem corretos. Assim, respeitando o tema de dezembro para Uma Dúzia de Livros, selecionei um clássico que manifesta estes pensamentos e que fez Harper Lee permanecer na minha lista literária, porque a curiosidade aumentava a cada nova partilha.

«Um movimento repentino. Um pequeno movimento, 
quase invisível, e a casa caiu novamente em sossego»

Mataram a Cotovia é um livro de camadas. Se, por um lado, faz sobressair um traço doce, cómico e sem maldade, por outro, é uma narrativa que nos revolta, inquieta e entristece por apresentar tantas sombras e hipocrisia. Num contexto em que o preconceito, o racismo, as desigualdades e a injustiça são fragmentos de um dialeto - quase - transversal aos habitantes de Maycomb, é inspirador compreender que há sempre alguém disposto a quebrar estes muros, mesmo que isso implique correr riscos e lutar contra o sistema. Além disso, foi um lufada de ar fresco acompanhar a curiosidade e o amadurecimento da narradora.

«- As pessoas que estão no seu perfeito juízo nunca se orgulham dos seus talentos»

A protagonista conquista-nos pela sua capacidade reflexiva, aparentando ser mais velha [conhecemo-la aos seis anos], o que creio ser uma das consequências mais bonitas da educação que recebeu do seu pai, Atticus. Aliás, a dinâmica familiar é, para mim, um dos pontos-chave deste enredo, até porque há abertura, comunicação e um vínculo de respeito e companheirismo que os torna tão íntimos e exemplares no trato - entre si e com os demais. Portanto, deambulando por temas como a escravatura, o papel da mulher, o conformismo e a discriminação, é evidente o quanto a educação é imprescindível para abraçar a mudança.

«[...] mas antes de viver com os outros, tenho de viver comigo próprio. 
E a única coisa que se sobrepõe à regra da maioria é a nossa consciência»

Escrito nos anos 60, este livro permanece bastante atual: porque é um grito contra a intolerância e porque alarga o nosso espectro, atendendo a que não somos apenas santos ou vilões. Há muitas áreas cinzentas no nosso caráter, provando que todos podemos cometer atrocidades - seja por preconceito, seja por receio, seja por qualquer outro motivo. E é este pulsar de humanidade - por vezes, tão incoerente nos seus comportamentos e propósitos - que nos prende a uma realidade dura, mas com uma abordagem leve. Por isso, ri-me em vários momentos e senti o coração em alvoroço noutros tantos. Emocionei-me. E senti a subtileza de não cair em extremismos. Porque esta história transborda de simbolismo e tem uma sequência discursa equilibrada.

«Não há nada de errado com ele. Nã, Jem. 
Acho que só há um tipo de pessoas. Pessoas»

Mataram a Cotovia é uma lição de vida, por nos incentivar à empatia, por nos mostrar o impacto da bondade e por ser uma luz de esperança. 

«- Levas-me a casa?»


// Disponibilidade //

Nota: O blogue é afiliado da Wook e da Bertrand. Ao adquirirem o[s] artigo[s] através dos links disponibilizados estão a contribuir para o seu crescimento literário - e não só. Muito obrigada pelo apoio ♥

28 comments

  1. Não conhecia mas gostei muito! <3

    www.pimentamaisdoce.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Já ouvi falar muito da autora, mas nunca li nada. Vou levar a sugestão :). Adorei a tua fotografia, está mesmo original e gira.

    Beijinho grande, minha querida!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi a minha estreia na sua obra, depois de tanto tempo a querer descobri-la, e fiquei rendida.
      Muito obrigada, minha querida <3

      Eliminar
  3. Ja ouvi falar tanto deste livro, que o teu review despertou ainda mais a minha vontade de o ler :) Concordo com a Ana, a tua fotografia está mesmo muito bonita <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um livro fantástico, minha querida, acho que ias adorar lê-lo!
      Muito obrigada *-*

      Eliminar
  4. Fiquei tão curiosa com a obra! :)

    www.amarcadamarta.pt

    ResponderEliminar
  5. Por acaso não conhecíamos o livro
    Beijinhos :) , https://damselme.blogspot.com/?m=0

    ResponderEliminar
  6. Deve ter uma história bem bonita, ainda não conhecia mesmo
    Beijinhos
    Novo post
    Tem post novos todos os dias

    ResponderEliminar
  7. Esse livro não conheço. neste momento estou a ler Vidas Trocadas, de Sandra Brown.

    https://checkinonline.blogspot.com/
    @hresende21

    ResponderEliminar
  8. Não conheço, mas tbm gostei da foto e do descritivo :)

    ResponderEliminar
  9. Mataram a cotovia, já a não vejo de manhã ao acordar. Era real não fantasia. Deste mundo abalam os mais velhos para às crianças dar lugar. Gostei de ler o que li. Não o digo só por dizer. Mais vezes voltarei aqui. Para outras palavras escritas ler.

    Tenha uma boa noite Andreia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Edumanes! Quer pelas palavras, quer pela presença constante

      Eliminar
  10. Já li e concordo com a tua opinião. Aborda temas muito importantes e muito atuais e como não nos apaixonarmos pela Scout? Já vi também o filme intitulado em português "Na Sombra e No Silêncio" e faz muito jus ao livro. Beijinhos,

    Six Miles Deep

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo uma protagonista fascinante, ajudando-nos a respirar perante temas tão sérios. O filme ainda não vi, mas vou anotar a sugestão. Obrigada :)

      Eliminar
  11. Sempre que vejo o livro tenho vontade de ler. Mas depois olho para a minha to be read e percebo que não terei tempo para assim tantos.

    https://leiturasalmoco.blogspot.com/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Compreendo a sensação. A lista de livros por ler parece que nunca diminui :p

      Eliminar
  12. Já tinha ouvido falar, porque no meu trabalho costumam falar-me sobre sobre este livro. Infelizmente, não o temos por lá. Pouco pesquisei sobre ele e parece-me que é incrível! Mais um para a lista, que já tem uma centena de livros 😅 espero não ser a única a ter uma lista tão grande de futuras leituras ahah.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A lista de livros por ler ou para comprar nunca para de crescer. Sofro do mesmo problema. Aliás, é mal geral :p ahahahah

      Eliminar