SETE // LIVROS INFANTO-JUVENIS

Fotografia da minha autoria


«Linguagem carregada de sentido»


A literatura não tem idade. Embora existam exemplares mais indicados para cada faixa etária, acredito que, através de algumas modificações, é possível tornar as histórias acessíveis a todos. Porque é inegável o quanto estimulam a nossa imaginação, a nossa criatividade e, até, a nossa empatia. E esta travessia inicia-se, precisamente, nos livros infantis e juvenis, que têm uma alma pura. E mil portas por abrir.

Enquanto Educadora de Infância, pude verificar o impacto positivo que a leitura tem no desenvolvimento das crianças, sobretudo, porque a mesma narrativa permite-nos explorar vários domínios, atividades e conhecimentos. Nunca esquecendo a componente visual, uma vez que as ilustrações podem, também elas, ser uma ponte de entrelinhas. Portanto, defendo o quanto é fundamental investir na literatura infanto-juvenil e valorizá-la, pois tem muito para nos transmitir. Apenas fá-lo de uma maneira mais harmoniosa e com menos floreado. Sinto é que há sempre o cuidado de nos fazer sonhar. De explorar uma vertente encantada, que nos apazigua os medos. E isso é especial.

Recomendo - e muito - que se complementem as prateleiras com livros destinados aos mais pequenos, por todos os benefícios e magia que conservam no seu interior. E, sendo a literatura tão transformadora do nosso caráter, devemos começar, desde cedo, a escolher obras de qualidade. Na imensidão de opções extraordinárias, partilho sete.


// LIVROS INFANTO-JUVENIS IMPERDÍVEIS //


A QUE SABE A LUA? // MICHAEL GREJNIEC
«Há já muito tempo que os animais desejavam averiguar a que sabia a Lua. Seria doce ou salgada? Só queriam provar um pedacito. À noite, olhavam ansiosos para o céu. Esticavam-se e estendiam os pescoços...».

A prova de que somos muito mais fortes 
quando trabalhamos em equipa


A PEQUENA SEMENTE // ERIC CARLE
«No outono, algumas sementes de flores são arrastadas para longe por um vento forte. Entre elas, encontra-se uma mais pequena que, apesar da sua delicadeza, evita os perigos que a ameaçam ao longo de uma viagem pelas estações do ano em que cruza o mar, uma montanha alta e gelada ou o deserto. Quando o vento, por fim, cessa e cai no solo, a pequena semente consegue também impedir que os pássaros a devorem ou ser pisada. E é assim que ela se transforma numa flor imensa».

Uma metáfora deliciosa para o ciclo 
natural das nossas vidas


O DIA EM QUE OS LÁPIS DESISTIRAM // DREW DAYWALT
«Os lápis de cor também se zangam. O lápis preto está cansado de ser usado apenas para desenhar contornos, o azul já não aguenta pintar mais oceanos, e o amarelo e o laranja já nem sequer falam um com o outro, pois cada um reclama ser a verdadeira cor do sol. E agora?».

Um belo alerta para quebrarmos padrões


COMO APANHAR UMA ESTRELA // OLIVER JEFFERS
«Era uma vez um rapaz que gostava muito de estrelas. À noite, ia para a janela observar as estrelas e sonhar que um dia teria uma só dele. Imaginava que seriam amigos e brincariam às escondidas. E decidiu partir em busca de uma estrela. Quando finalmente apareceu uma estrela no céu, trepou ao cimo de uma árvore, pediu ajuda a uma gaivota e saltou o mais alto que pôde. Mas nunca conseguia alcançá-la».

A simplicidade. A importância de não desistirmos 
dos nossos sonhos


A MAIOR FLOR DO MUNDO // JOSÉ SARAMAGO
«E se as histórias para crianças passassem a ser de leitura obrigatória para os adultos? Seriam eles capazes de aprender realmente o que há tanto tempo têm andado a ensinar?».

Uma lição de amor, de empatia, de gratidão


O AVÔ TEM UMA BORRACHA NA CABEÇA // RUI ZINK
«O que fazer quando alguém de quem gostamos nos começa a esquecer? Esta é a história da amizade entre um avô que lentamente vai perdendo as memórias e o neto inventor que se dedica a descobrir uma cura».

O amor é mais forte do que o esquecimento 
- a mensagem especial desta obra


CINDERELA // JOÃO PAULO SEARA CARDOSO
«Esta não é uma Cinderela tradicional. Há uma reescrita, um tanto ou quanto anacrónica, da história tradicional, a partir das versões de Perrault e Grimm. E personagens saídos de outros contos caem do céu».

Novos desafios e contratempos, num registo 
divertido e alucinante.


Tentei distanciar-me de escolhas mais óbvias, caso contrário, O Principezinho, O Quebra-Nozes, Onde Vivem os Monstros, Harry Potter e a A Bela e o Monstro figurariam nesta lista. Porém, a literatura infanto-juvenil está recheada de autores/histórias incríveis.


Que livros infanto-juvenis recomendam?

54 comments

  1. Não conheço nenhum, mas vou guardar as sugestões!

    Isabel Sá  
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  2. O Principezinho, Tobias, Plum e Plumete, as histórias da Anita, as obras-primas de Lilibeth. Estes são alguns dos que lia quando era pequena.

    Beijinho grande!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Anita é mesmo um clássico! E ainda hoje estou para descobrir o que aconteceu à minha coleção, porque só existe um livro cá em casa :o
      Tobias e Plum e Plumete não conheço, tenho que procurar

      Eliminar
  3. Não conhecia nenhum, mas parecem bem interessantes! :)

    www.amarcadamarta.pt

    ResponderEliminar
  4. Bom dia:- Sempre nos oferecendo boas sugestões.
    .
    Saudações poéticas

    ResponderEliminar
  5. Só conheço "Cinderela" e "A pequena semente", mas caramba, que nostalgia!

    Os que eu mais li na minha infância acho que foram mesmo "A Fada Oriana" e "O Cavaleiro da Dinamarca e agora apetece-me muito relê-los :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Têm histórias fantásticas *-*

      Adoro ambos, mas mais a Fada Oriana! Acho que também vou aproveitar este tempo de quarentena para os reler

      Eliminar
  6. Às vezes apetece-me focar mais nos aspetos negativos da literatura nas crianças.
    Tenho um exemplo: a minha filha foi sempre muito influenciada pelos hábitos de leitura dos pais. Desde muito novinha que, enquanto nós fazíamos as compras no Continente, ela ficava embasbacada a olhar as prateleiras dos livros e era rara a semana que não trazia um livro novo com ela.
    Resultado: hoje é professora de português/inglês (desde 2006), passou os primeiros 7 anos a dar formação em Centros de Formação Profissional, a recibo verde, passou por uma fase de trabalho temporário a preencher formulários para a MEO e atualmente, numa escola privada, ganha pouco mais do que a senhora da limpeza. Não fossem as explicações e nem sei como ia conseguir pagar a prestação da casa.
    Sinto-me culpado por não lhe ter comprado mais Barbies e menos livros. eheheheheheheh

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não foques, porque esse acesso à literatura também lhe deu ferramentas para gerir todas essas reviravoltas da vida :)

      Eliminar
  7. Só os títulos parece que chamam logo à atenção :)

    ResponderEliminar
  8. Posso te dizer que ainda não conhecia mesmo nenhum que falou
    Beijinhos
    Novo post
    Tem post novos todos os dias

    ResponderEliminar
  9. Faço hora do conto para crianças dos 3 aos 10 anos.
    O dia em que os lápis desistiriam, foi um grande sucesso entre as crianças.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sinto que as obras desse autor - e do Oliver Jeffers - têm esse impacto nas crianças. O que é maravilhoso *-*

      Eliminar
  10. Dos melhores exercicios que se pode fazer é reler a versão original de muitos dos contos infantis que nos viram crescer. Let a Alice no Pais das maravilhas não é algo que uma criança possa perceber, mas como adulto é todo um mundo literário.
    Culpada sou por mesmo em adulta ter como eterno favorito o meu velhinho livro dos contos dos irmãos grimm...haja gente mais sombria xD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma aprendizagem completamente diferente, até porque te permite seguir rotas que, em criança, não terias mecanismos para percorrer.
      É uma boa culpa :D

      Eliminar
  11. Acho que este tipo de livros vão ser sempre os meus preferidos :p

    http://blogda-joana.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  12. Só li o ano passado A Maior Flor do Mundo, e adorei. Nunca li O Principezinho, mas quero muito ler. Vou anotar os restantes. Tenho pena dos sobrinhos do namorado não gostarem de ler, senão seria a tia que mais iria oferecer livros ahah

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aconselho imenso a leitura d' O Principezinho *-*
      Pode ser que ainda venham a gostar

      Eliminar
  13. O meu filhote tem a versao original do "O dia em que os lapis desistiram" e adora :)
    Quero muito ler-lhe o do Saramago e o do Rui Zink :)
    Os meus livros preferidos da minha infancia sao os da Sophia de Mello Breyner, revelo-os no desafio da proxima quinta-feira :)
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sentindo um pouco de inveja do teu pequenote ahahah :D
      Acho que ele vai adorar! Não desfazendo o do Saramago, que é maravilhoso, o do Rui Zink é mesmo um abraço apertado. Aconselho muito.
      Estou muito curiosa com o desafio

      Eliminar
  14. Beleza de introdução para apresentação generosa de belos exemplares de livros que bem auxiliam na formação.
    Bela generosidade.
    Abraços
    Ah, venho do café poético para agradecer sua visita e comentário.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada pela visita e pelas palavras tão simpáticas :)

      Eliminar
  15. Conheço os livros de Eric Carle 🐞
    E como não podia deixar de ser: A maior flor do mundo do nosso Nobel 🌻

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda só tive oportunidade de ler dois, mas conquistaram-me *-*
      A Maior Flor do Mundo é uma maravilha!

      Eliminar
    2. Será exagero dizer que a obra do José Saramago é uma maravilha?!

      Eliminar
    3. Como ainda não me aventurei a fundo na sua obra, não tenho opinião formada quanto a isso

      Eliminar
    4. Era exatamente isso que eu queria saber, Andreia, porque o livro que todas é uma gotinha de água numa obra fabulosa 📚

      Eliminar
    5. Pode ser que me aventure em mais este ano. E, assim, descubra todas essas maravilhas!

      Eliminar
  16. Guardei todos os meus livros de infância e a biblioteca de livros infantis foi crescendo (efeito irmãos mais novos xD). Assim continuaram a fazer parte das leituras. Os livros infantis são ótimos! Tanto para a idade específica, para implementar o hábito e gosto pela leitura, tanto para a idade adulta por todas as mensagens boas que trazem :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso é fantástico! Acho que, finalmente, as pessoas começam a perceber que a literatura infantil e juvenil não é menor que a restante. E ainda bem, porque as mensagens acrescentam-nos imenso *-*

      Eliminar
  17. Quanto ao impacto positivo que a leitura tem no desenvolvimento das crianças. Tem muito haver com o antes e depois do 25 de Abril de 1974, cuja a Revolução dos Cravos, como ficou conhecida. A qual devolveu a liberdade ao povo português. Até essa data, haviam escolas primárias, isso é verdade, mas devido às condições economicas das populações rurais nem todas as crinças podiam frequentar o ensino primário. Nos anos 40, 50 e até 60, do século passado a idade de entrar para a escola era ao 7 anos. Sendo que muitas criança em vez de irem para escola iam guardar o gado. Foi o que aconteceu comigo. Trabalhava de dia, à noite ia para a escola e cara alegre. Não tive outra alternativa. O nível de vida hoje em Portual não tem nada haver, nem coisa que se pareça, com o nível de vida desse tempo. Ainda bem que assim é!

    Tenha uma boa noite Andreia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A liberdade abriu-nos inúmeras portas, sem dúvida! E devemos estar agradecidos por todas as oportunidades, por tudo o que passamos a fazer sem medos e limitações.

      Obrigada e igualmente :)

      Eliminar
  18. Não conheço mais ótimas sugestões! Beijos

    Segredosdamarii.blogspot.com

    ResponderEliminar
  19. Great post and amazing blog!I so glad there is translate option!Follow you now :)
    Hope you'll maybe visit and follow mine too!
    beautyqueen000.blogspot.rs

    ResponderEliminar
  20. Recomendo "A Mãe que Chovia" do J.L.Peixoto, "O Rapaz de Bronze", "A Fada Oriana" de Sophia de Mello Breyner e "Fernão Capelo Gaivota", de Richard Bach. Todos com lições bonitas e cheios de metáforas deliciosas para crianças mas também para nós, os mais crescidos 💖

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho que adicionar A Mãe que Chovia e Fernão Capelo Gaivota à lista. Muito obrigada *-*

      Eliminar