Dia Mundial do Livro [e dos Direitos de Autor]

Fotografias da minha autoria


«Viver sem ler seria como viver sem viver»



O livro é uma porta aberta para diferentes mundos. E para realidades que nos transcendem, nos inspiram e nos acrescentam. É fabulosa a forma como uma história nos contagia, nos emociona e nos quebra o marasmo de dias vazios, ou potencia ainda mais a felicidade de momentos preenchidos. Por vezes, bastam cinco minutos de leitura para nos sentirmos completos e em paz. Porém, há alturas em que uma tarde inteira é pouco para satisfazer a nossa curiosidade. E se isto não é magia, então não sei o que mais o possa ser.

A possibilidade de escolha é infinita. Por isso, dificilmente não encontraremos a obra mais indicada para determinada ocasião. E, depois, temos todos os autores, de vários estilos literários, que nos conquistam com os seus enredos. E que se tornam uma extensão do nosso gosto e da nossa existência. Quando ainda não sabia as letras, lia as imagens como se a história estivesse toda ali, naquela tela colorida, com cenários intermináveis - no papel e na minha imaginação. Mais tarde, passei a deslizar o meu dedo pequeno e gorducho pelas palavras, para as descobrir, para as ler em voz alta e para garantir que não fugiam. E entre castelos, princesas, dragões, génios da lâmpada, tapetes voadores, anões - e tantas outras variáveis - fui crescendo; e percebendo que, neste caminho cheio de curvas, passamos por várias fases: admiramos livros que, para nós, serão eternos clássicos. Deixamos outros para trás, porque já não nos identificamos. Só compreendemos a verdadeira mensagem quando somos mais velhos. Apaixonamo-nos. Redefinimos prioridades e géneros. E redescobrimo-nos enquanto leitores. 

Ler também é uma forma de amadurecimento. Porque cada exemplar traz «os saberes de outras vidas». E todos, a começar pelos que nos acompanham desde o berço, até aos que chegam sem grande alarido e que se tornam essenciais, assumem um papel fundamental naquilo que nos tornamos, mesmo que não o compreendamos de imediato. Portanto, no nosso álbum de recordações existem histórias ímpares. Inegáveis. E ligeiramente intransmissíveis. No entanto, há sempre espaço para que sejam partilhadas. Anualmente, a 23 de abril, celebra-se o Dia Mundial do Livro [e dos Direitos de Autor]. E a Sofia Lima [A Sofia World], à semelhança do que fez no ano anterior, decidiu convidar alguns bloggers para comemorar esta data tão especial. Naturalmente, a minha resposta foi rápida. E aceitei o convite com o maior gosto, até porque acredito que todas as oportunidades são boas para escrevermos sobre algo que nos apaixona. E, hoje, poderei fazê-lo através de sete categorias.




O Livro que tenho há mais tempo



É difícil responder concretamente, não só porque a minha memória é péssima, mas também porque há uns quantos que tenho ideia de existirem cá em casa desde sempre. Ainda assim - e a julgar pelo desgaste - diria que são os seguintes: Os Cinco e a Fórmula Secreta [Enid Blyton], Um Grande Escândalo [Mistérios Disney], Sarilhos [Walt Disney], Anita no país dos contos [Gilbert Delahaye], Aladdin [Walt Disney], A Dama e o Vagabundo [Walt Disney] e os livros do Pingu [Sibylle Von Flüe] - cuja coleção tinha completa, mas não sei o que fiz a quatro volumes.




O Livro que tenho há menos tempo



A Bela e o Monstro [adaptado por Elizabeth Rudnick] e O Quebra-Nozes [Hoffmann]. Comprei-os a 4 de fevereiro [dia mundial da luta contra o cancro], para não desperdiçar o Momento Solidário da Wook, no qual 10% do valor de cada encomenda registada e paga nesta data revertia para o IPO do Porto. Todas as desculpas são plausíveis para adquirir livros. E eu achei que uma campanha tão nobre devia ser aproveitada com duas histórias que nos acalentam. E que nos permitem sonhar. Além disso, têm um significado especial, porque perdi conta à quantidade de vezes que, em criança, vi os respetivos filmes. Sem qualquer dúvida, foram dos que mais me encantaram. E fazia todo o sentido ter as obras literárias.




O Livro que li mais vezes



O Principezinho. Confesso que são poucas as releituras que faço, embora as considere importantes. Contudo, faço questão de reler, todos os anos, o livro de Antoine de Saint-Exupéry. Porque é o meu favorito. E porque sinto que aprendo sempre algo novo. E valioso. Paralelamente, este livro é como um abraço apertado, que nos aconchega, pela sua simplicidade. Pela beleza do trato. Pela importância que atribui às crianças. E pela mensagem que transmite.




O Livro que emprestei e não voltei a ver



Emprestar livros não é algo que me incomode. De todo. O que me custa é a falta de compromisso na hora de os devolver. Acredito que, em alguns casos, não tenha sido por mal, mas a verdade é que deve existir um certo cuidado, até porque a partilha é demasiado bonita para se estragar deste modo. E eu tenho quatro que combinam bem com esta categoria: Queimada Viva [Souad], As Aventuras de João Sem Medo [José Gomes Ferreira], Graças e Desgraças da Corte de El-Rei Tadinho [Alice Vieira] e Para que Serve a Literatura? [Antoine Compagnon].




O Livro que já devia ter lido



Todos aqueles que permanecem em espera na lista que mantenho como uma espécie de guia - constantemente pronta para que a rasure, dando aquela feliz ilusão de que vai diminuindo. Ainda assim, não posso deixar de destacar três obras que já fazem parte da minha estante há algum tempo: D. Quixote de La Mancha [Miguel de Cervantes], Romeu e Julieta [William Shakespeare] e Harry Potter [J. K. Rowling]. Certos excertos das suas histórias pertencem ao meu imaginário de menina. E acho que está na altura de os trazer para a minha realidade.




O Livro com mais valor sentimental



Pessoalmente, acho que todos os livros transportam valor sentimental, seja por nos terem sido oferecidos por alguém próximo, seja pelo impacto dos seus enredos. Mas não posso deixar de enumerar quatro, por razões completamente diferentes: Contos de Princesas [Walt Disney] - por tudo o que me fez sonhar em criança. Pelo amor. Pelo bem. Pela persistência. E por me fazer perceber que o meu caminho pode ter vários heróis, sem capa e sem poderes mágicos; O Castelo dos Livros [Maria Teresa Maia Gonzalez] - porque fala de livros, de sonhos, de imaginação e de amizade. Simultaneamente, foi um presente de alguém que já teve bastante importância na minha vida [apesar de, agora, não termos qualquer tipo de ligação, não deixa de representar aquilo que a nossa amizade foi. Um dia]; Contos da Cidade das Pontes [coordenação de José António Gomes] - porque fala do meu inigualável Porto. E é uma verdadeira ponte para este meu amor infinito pela cidade; A Criança Que Não Queria Falar [Torey Hayden] - pela história e por ter implicado uma mudança radical nos meus hábitos de leitura. Durante anos, esta relação esteve adormecida. Após esta leitura, voltei a dedicar-me de corpo e alma.




O Livro que foi uma autêntica pechincha literária 



Estou cada vez mais adepta de livros em segunda mão, o que me permite fazer verdadeiros achados [encontrei Queimada Viva por 2€]. Mas também tenho aproveitado o Outlet do Livro, no Palácio de Cristal [há dois anos, trouxe cinco livros por 2,50€]. No entanto, mesmo não sendo o livro mais barato da minha estante, acho que o título de pechincha literária vai para Bianca e o Dragão [Beatriz Pacheco Pereira], que custa 40,38€ e eu consegui comprar por 5€, na Porto Book Stock Fair.


 

Os livros unem pessoas. Eis a lista de participantes deste desafio:

Sofia Lima [A Sofia World] | Carolayne Ramos [Imperium] | Sofia Silva [Ensaio sobre o Desassossego] | Cherry [Life Of Cherry] | Andreia Morais [As gavetas da minha casa encantada] | Ana Garcês [Infinito Mais Um] | Joana Sousa [Jiji] | Rita da Nova [Rita da Nova] | Rafa [Millennial Killer] | Tim [Devaneios da Tim] | Sofia Ferreira [Por onde anda a Sofia?] | Inês Mota [Bobby Pins] | Filipa Maia [Deixa Ser] | Sónia Pinto [By The Library] | Daniela e Artur [Palavra-Padrão] | Maria Moreira Rato [Estranha Forma de Ser Jornalista] | Margarida Pestana [Margarida Pestana] | Marli Neves [My Own Anatomy] | Dalila Melfe [Miss Melfe]

22 comentários

  1. «O próximo livro que quero comprar: Tudo o que Sempre Quis de Rita Correia» ahahahaahah :P
    "Queimada Viva" li aos 14 anos e marcou-me tanto. Acho que foi o 1º livro que li a sério e fiquei um pouco chocada.

    ResponderEliminar
  2. Para um amante de livros e leituras como eu é imperdoável, mas não sabia que hoje é o Dia Mundial do Livro.
    De todos os livros que a minha amiga faz referência destaco dois que para mim são obras primas e universais, O Principezinho e Don Quixote de la Mancha.
    Um abraço e boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
  3. Gostei imenso das tuas escolhas! =)
    Também emprestei livros que não voltei a ver e ainda me incomoda...
    Beijinhos,
    http://chicana.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  4. Gostei tanto de te ler! Sem dúvida que o teu percurso de leitura é marcado por uma aura infantil - no bom sentido - que é tão doce. Gostei imenso das tuas partilhas! E tenho a certeza absoluta que vais adorar o Harry Potter :)

    Jiji

    ResponderEliminar
  5. Adorei ver que lês livros como a Bela e o Monstro, assim já não me sinto sozinha ahah!
    Adoro ler :)

    https://quase-italiana.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  6. Que publicação enriquecedora!
    Adoro sempre saber que livros mais ou menos te tocam, aqueles que têm um peso maior no teu coração e aqueles momentos em que descobres livros que valem mesmo a pena ter connosco, mesmo em segunda mão, pois é outra forma de lhes dar vida!
    Beijinho grande, linda *.*

    ResponderEliminar
  7. Adorei este post, embora não tenha tantos livros, nem tanta disponibilidade para ler, como gostaria, mas também sou daquelas pessoas que quando começa a ler um livro e ele é interessante, leio o mesmo numa semana e às vezes menos. Tenho mesmo de ler mais. Beijinhos :D

    ResponderEliminar
  8. Adorei este desafio :) Sera que ainda vou a tempo de participar? Tambem sinto o mesmo em relacao ao livros emprestados... tens ai uma bela colecao :) Olha os 5 :) Li a colecao toda dos meus primos, assim como os de Uma Aventura da minha colega de carteira :) O Principezinho tambem ja mora ca em casa em ingles e em portugues :)
    Ca o dia do livro foi no inicio do mes cm ja tinha dito no meu cantinho pois os ingleses gostam de andar sempre a frente hehe :)
    Bjinhosss e boa semana*
    https://matildeferreira.co.uk/

    ResponderEliminar
  9. Muito bom. Adorei :))

    Hoje:- Meus olhos vagueiam em teus lábios
    .
    Bjos
    Votos de excelente Segunda -Feira

    ResponderEliminar
  10. Tudo boas sugestões, desde os mais antigos aos mais recentes :-)

    Beijinhos
    https://titicadeia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  11. São através dos livros que conhecemos o mundo, livros são bons companheiros, não sabia que hoje é o dia mundial do livro, bons livros aqui, bjs.

    ResponderEliminar
  12. Tens, definitivamente, de te aventurar no mundo Harry Potter! Acho que vais gostar muito de todo o universo mágico! :)


    Obrigada por teres participado! <3

    A Sofia World

    ResponderEliminar
  13. Adoro ler, já não tenho espaço para mais livros, o Principezinho e o Don Quixote de la Mancha são 2 livros que marcam para sempre.
    A semana passada encaixotei a coleção do Harry Potter e mais alguns dos meus filhos que me estavam a roubar espaço para os meus
    Boa leitura no dia mundial do livro.
    Bjs

    ResponderEliminar
  14. Acho que é importante assinalar esta data! Para o ano vou tentar não me esquecer de fazer um post sobre isso!

    Bjxxx
    Ontem é só Memória | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  15. Ler é sempre algo que preenche tanto e nos faz viajar por mundos e mundos sem sairmos do lugar, vivendo com as personagens as suas histórias e emoções!
    Há muitos livros dos que identificaste que gosto tanto e pelos quais nutro um grande carinho. Sendo O Principezinho um deles, com todas as lições que tem para dar.
    E acho que fazes muito bem em ter o Harry Potter na lista para ler, porque na minha opinião é um universo para além de mágico que cria paralelismos com a realidade de modo sublime mas impressionante :D
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  16. So many great books. Ones that bring value and great knowledge to the reader.

    www.fashionradi.com

    ResponderEliminar
  17. Eu gosto de ler, mas confesso que, ultimamente, não tenho lido muito!

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  18. As Aventuras de João Sem Medo é um dos meus livros preferidos, acho que ficava super chateada se não me devolvessem. Até agora, só tive um que foi e nunca mais voltou que é O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá... tenho imensa pena, mas perdi o contacto com essa pessoa e nunca mais o vi.

    ResponderEliminar
  19. Ler é sempre mágico, faz-nos viajar e trabalhar a imaginação, o que é ótimo. É algo em que quero começar a apostar, ter mais livros e ler mais. Prometi que ia ler mais em 2018, mas estou a falhar, tenho mesmo de melhorar isto :)

    Gostei muito de ler este post e ver alguns dos livros que te apaixonam :)

    ResponderEliminar