Erro Crasso

Fotografia de pluma.pt


«O Erro Crasso é sobre javardeira. O Erro Crasso é sobre enxovalhamento. Mas, acima de tudo, o Erro Crasso é sobre realização de sonhos»



O meu contacto com o humor foi acontecendo de forma gradual. Apesar de não ter referências por ordem cronológica, há nomes que, inevitavelmente, acompanharam o meu crescimento: Herman José, Fernando Rocha, Francisco Menezes, Jimmy Fallon, António Raminhos, Hugo Sousa, João Seabra e Bruno Nogueira. E muito por culpa de programas como o Levanta-te e Ri, talvez não muito aconselhados para crianças, mas isso é um mero pormenor. O certo é que foram exemplos determinantes para consolidar o respeito que tenho por esta arte.

Naturalmente, como em muitas outras profissões, há figuras que se destacam e que permanecem bem presentes, enquanto outras vão desaparecendo das luzes da ribalta, pelos mais variados motivos. Pelo meio, vamos descobrindo pessoas talentosas, que nos desarmam e nos deixam sem palavras, como é o caso de Luís Franco-Bastos, cujo percurso é absolutamente inspirador. Um dos seus traços mais distintivos é a capacidade sublime para imitar vozes. E quem é que não fica de queixo caído a ouvi-lo falar como Cristiano Ronaldo, Ricardo Quaresma, Alberto João Jardim, Bruno Nogueira, entre tantos outros? Eu fico. E chega a ser assustador de tão igual que soa. Porém, rapidamente percebemos que esta característica é uma pequena parte do seu talento, até porque a sua base será sempre o stand up comedy. Independentemente do que lhe reserve o futuro [e acreditando que só poderão ser coisas fabulosas], deixou uma marca difícil de alcançar, porque todo o seu trabalho é construído com inteligência e passos firmes. Por isso, a fasquia está bastante elevada para as novas gerações. Ainda assim, há nomes que merecem registo. E um exemplo evidente é Pedro Teixeira da Mota, que está a traçar um percurso interessante e que se tem revelado uma surpresa muito positiva. Se, em separado, são dois artistas com imenso potencial, foi bom perceber que decidiram arriscar num projeto em comum.

Erro Crasso é um programa pensado para o Youtube. Porém, atendendo à produção envolvida, acaba por nos transportar para um ambiente televisivo. A grande diferença é que não tem que seguir determinados padrões. E a liberdade criativa é muito maior. Além disso, este formato salienta outro lado extremamente importante: o trabalho de autor, uma vez que os textos são escritos por Luís Franco-Bastos e Pedro Teixeira da Mota. Simultaneamente, mostra-nos que, por ser algo tão específico, requer que a ideia seja bem estruturada e escrita, caso contrário não funcionará. E, aqui, não posso tecer outra coisa senão rasgados elogios a ambos, porque tudo neste conceito resulta. Pela originalidade. Pela dinâmica. Pela própria relação entre os dois. E, claro, pela existência de um terceiro elemento, que contribui para tornar o momento muito mais engraçado.

Este talk show já vai na terceira temporada e eu só tenho pena de não ter começado a ver no dia em que estreou. Mas bastaram cinco minutos, se tanto, para me render. De modo a colmatar esta falha, aventurei-me numa maratona, o que me provocou duas reações: choro compulsivo de tanto rir e o reconhecimento automático da evolução de Erro Crasso. O que distingue este programa dos outros é a centralização nos jogos, deixando a conversa para um plano secundário. No entanto, o equilíbrio entre estas duas componentes é cada vez maior e isso agrada-me, porque acho genuinamente piada à partilha de opiniões sobre os temas mais aleatórios. Porque foge do tipicamente correto. E porque assume um registo muito próprio, descontraído e cómico, e que dificilmente veríamos noutro formato. Agora, claro que os jogos continuam a ser o grande foco. E ainda bem. Não só pela imprevisibilidade dos mesmos, mas também porque os anfitriões conseguem levar a questão ao extremo, apresentando as opções mais descabidas e geniais. A juntar a tudo isto, é preciso realçar a diversidade do painel de convidados. Há escolhas que são mais ou menos óbvias, mas outras nem tanto. E a graça também passa por aí. E pelo fator surpresa que é constante.

Pessoalmente, tenho dificuldade em escolher um episódio favorito, porque todos foram hilariantes à sua maneira. Contudo, é impossível não fazer menção àqueles que contaram com a presença de: Salvador Martinha, Herman José, Toy, Luís Freitas Lobo, Diogo Piçarra, Rui Sinel de Cordes e Carlos Coutinho Vilhena. Por outro lado, será extremamente complicado esquecer o Fazer a Ronda com Richie Campbell, a afirmação convicta de que Vasco da Gama é uma celebridade ou, então, o Acting Skills com Maria Rueff ou com João Baião. Se der asas à memória, vou acabar por enumerar tudo o que vi. Porque, quando os projetos têm tanta qualidade, torna-se até injusto destacar certos segmentos e/ou convidados. Se acho provável que superem o que fizeram até aqui? Completamente! Porque se há pessoas capazes de fazer melhor são eles os dois. De um ponto de vista egoísta, só espero que continuem a desenvolver conteúdos tão fantásticos como os que têm apresentado, porque é um privilégio tremendo acompanhá-los. Em conjunto. E em separado.

Importa, por fim, frisar que é Erro só mesmo de nome. E que Crasso seria se o sucesso não fosse imediato. Porque esta aposta foi totalmente ganha. E as minhas segundas-feiras, às 18h, adquiriram um significado novo. E muito mais especial. Obrigada!

22 comentários

  1. Já me ri bastante a custa destes dois e dos seus convidados :) adorei o Diogo Piçarra :) igual a si próprio cm sempre :)
    Bjinhosss
    Ah e muito obrigada por teres me recomendado o Erro Crasso :)
    https://matildeferreira.co.uk/

    ResponderEliminar
  2. Desconhecia este "erro crasso" mas vou lá espreitar e de certeza que vou ficar fã.
    Um abraço e boa Primavera.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
  3. E eu que nunca vi! Imperdoável! Vou desfazer este "erros crasso".

    ResponderEliminar
  4. Não conhecia, mas tenho de ir ver os episódios, especialmente esses que referes! Erro crasso só mesmo de nome, portanto =)
    Beijinhos,
    http://chicana.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  5. Nao conhecia... que erro o meu. Estou muito curiosa acho que vou pesquisar.
    No youtube neste momento gosto muito fe Diogo Bartagua acho wue tem mt talento.
    Tamb vi mt o levanta-te e ri. Faz falta esses prog na tv... o k a tv nos da é so realty show reciclados. Felizmebte a liberdade e qualidade do youtube continua a crescer

    ResponderEliminar
  6. Não conhecia, mas vou já espreitar.
    Um beijinho grande*
    Vinte e Muitos

    ResponderEliminar
  7. Muito interessante essa sua partilha Andreia e como eu não conhecia me chega uma dica excelente para pesquisar e espreitar. Pelo que li já fiquei mega interessada
    Beijos e um feliz dia

    ResponderEliminar
  8. Não conheço, tenho de ir espreitar.

    Beijinhos
    https://titicadeia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  9. Acreditas que nunca vi!? Já vi que ando a perder muito! :P

    amarcadamarta.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  10. Já tinha visto um ou outro episódio, mas agora fiquei curioso e já adicionei o canal aos favoritos.

    ResponderEliminar
  11. Interessante a sua partilha, quem não conhece certeza que vai dar uma espreitadinha.
    Bjs

    ResponderEliminar
  12. Não conhecia este talk show do Youtube tenho de ir ver. Que boa partilha
    http://retromaggie.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  14. seems interesting laughter show, i love to watch such show to freshen up the mood.
    My Blog | Instagram | Bloglovin

    ResponderEliminar
  15. É mesmo isso, meu bem :D

    Como assim não conhecia?! Vou ter de acompanhar! E isto dá-nos conta, uma vez mais, que o mundo digita, mais do que a TV, está a ganhar um maior espaço tanto na comédia como em termos de séries. É o futuro, efetivamente!

    NEW REVIEW POST | THE ONLY WAY TO BE ABLE TO STYLE MY HAIR. :D
    InstagramFacebook Official PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  16. Nunca tinha ouvido falar, mas vou cuscar!

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  17. Confesso que não conhecia e não acompanho muitos humoristas (só o Raminhos - que adoro). Mas fiquei com vontade de conhecer o programa :)

    ResponderEliminar
  18. Não sabia pois não sou de acompanhar humurista. Para mim, César Mourão, Rui Unas, são os que efectivamente me dão gozo de ver.

    Beijinhos
    www.pirilamposemarte.com

    ResponderEliminar
  19. adoro ver! confesso que ainda não vi todos mas gosto mesmo deste "programa"

    ResponderEliminar
  20. Conheço uma rapariga que é super fá do Luís e assiste a todos os espectaculos dele na zona dele!
    Tenho de vos dar razão, o moço é qualquer coisa!

    ResponderEliminar
  21. Não conhecia mas como adoro humor e sarcasmo irei dar uma oportunidade. Ando muito out de programas de TV de facto 😕. Obrigada pela partilha querida Andreia. Beijinhos

    ResponderEliminar
  22. Dou uma enorme importância a esta arte. O dom de fazer os outros rir sempre me fascinou talvez também pelo facto de gostar de um dia ter um pouquinho desse talento.

    ResponderEliminar