Entrelinhas #18

Imagem retirada do google

«Quando uma amizade verdadeira acontece, ficamos deslumbrados, como diante de um milagre. Foi precisamente quando o autor do livro procurava desinteressadamente, num puro gesto de dedicação, o seu amigo perdido que se deu o encontro com a maravilha, com o Principezinho»


O Principezinho será sempre a minha história favorita. Por essa razão, quando vi que a Maria Francisca [de quem vos falei aqui] estava a vender o livro Encontrei o Principezinho não resisti a encomendá-lo. Não conhecia este enredo. E muito menos o autor Jorge Cabral Santos. Mas depois de ler a sinopse, e de aliar isso ao facto de incluir uma das personagens mais carismáticas e influentes, só podia ser uma escolha acertada. E foi!

Tiago desapareceu algures na Serra da Arrábida - que tem direito a uma descrição encantadora. E foi durante a procura solitária pela serra que o seu amigo escuteiro se encontrou com o Principezinho. Segundo as suas palavras, «só na solidão podemos reconhecer um amigo e só no silêncio o podemos compreender». E ao partir nessa demanda sem ajuda acabou por viver uma das maiores experiências da sua vida.

À semelhança da história original, há magia e ternura nas palavras. Reforça a importância da amizade, de não perdermos a confiança que há em nós; a importância dos nossos gestos e atitudes. E leva-nos a viajar, a imaginar os cenários e as cenas que nos parecem tão reais. E aqui importa realçar o papel das ilustrações, que são lindíssimas e que contribuem para que a nossa mente divague com mais pormenor.

Há lugar para as viagens do Principezinho, mas também para uma constante reflexão sobre ser criança e ser adulto: as mudanças que sofremos, a inocência que perdemos, a falta de noção do que é realmente basilar e os estatutos que se criam. E apesar de parecerem enredos distintos, as histórias do amigo do Tiago relacionam-se sempre com as viagens supracitadas. E aproveita várias ocasiões para recordar episódios da sua infância e episódios com o seu grande amigo que permanece desaparecido.

Os diálogos têm humor. É uma narrativa que se lê num fôlego e que nos faz desejar que não acabe, até pelos contrastes evidenciados: a magia que alterna com um certo aperto no peito. As peripécias engraçadas que dão lugar a momentos de tristeza. Os sorrisos que depressa se transformam em lágrimas. Encontrei o Principezinho é uma história dentro de outra história. E faz-nos colocar muita coisa em perspetiva, sobretudo por perpetuar o que encontramos n' O Principezinho: «a pura amizade, a pura alegria de um encontro, a revelação do que há de mais belo e mais inocente no íntimo de nós. É a nossa infância esmagada debaixo do peso do tempo, sufocada sob os escombros do barulho e da agitação infrene. Se retirarmos toda essa inutilidade, o menino que já fomos há-de voltar a aparecer. Se tão raramente aparece é porque não procuramos o silêncio, não paramos um pouco, não sabemos regressar ao começo do mundo, quando o olhámos pela primeira vez»

É um livro que deve ser lido por crianças e, principalmente, pelos adultos. Apesar de toda a dor da perda, da angustia de se continuar sem respostas, da injustiça de algumas suposições, a mensagem é poderosa! Porque há sempre alguém que nos retira do poço de sofrimento em que, muitas vezes, caímos. Porque a beleza das relações, sejam elas de que ordem forem, está nessa capacidade de ajudar o outro sem hesitações. Além disso, demonstra o quanto o sentimento de gratidão é valioso. E a importância de dizermos às pessoas aquilo que significam para nós.

Há um chamar constante de Saint-Exupéry à conversa, bem como um desejo permanente de saber o que vem depois. Se há reencontro. Se Tiago chega a aparecer, ou o que é que lhe acabou por acontecer. Esta carta talvez funcione como um desabafo. Como uma réstia de esperança. Talvez não esteja sequer perto disto. Se calhar, foi apenas a oportunidade de contar a história de alguém especial. Independentemente do que possa ser, de uma coisa tenho a certeza: é alicerçada em princípios e valores nobres.

E se fossem vocês a encontrar o Principezinho? Como reagiriam? O que lhe diriam? O que escreveriam?


Deixo-vos, agora, com algumas citações:

«- Só conheces a tua rosa depois dela florir toda a sua beleza. Se não regares a tua rosa, se não lhe deres o teu cuidado e a tua confiança, a tua rosa nunca abrirá todas as suas pétalas à luz do Sol porque tem medo. Só quando tu lhe deres a tua confiança é que conhecerás a sua verdadeira beleza» (p. 47);

«Suponho que foi esta cumplicidade que nos aproximou um do outro: ambos procurávamos um amigo! Só que nele era mais forte a certeza de te encontrar, ao contrário da minha em achar o Tiago, que começava a morrer como morre o pôr do Sol na paisagem de uma tarde que nós queremos conservar para sempre. Contudo, unia-nos a esperança sempre acesa e até irracional, tão própria dos meninos» (p. 55);

«- Sabes, eu gostava de ver o Tiago ao menos só mais uma vez. Houve uma coisa que eu nunca lhe disse e queria dizer-lhe.
- O que é que querias dizer?
- Queria que ele soubesse que eu era amigo dele. Sei que o sabia, mas queria dizer-lhe da minha própria boca» (p. 67);

«As saudades fazem correr mundos só para se satisfazerem» (p. 92);

«Sim, eu também tenho esperança, mas uma esperança diferente. Tenho esperança que o principezinho o tenha encontrado - quem sabe se não era a sétima ilha que o Tiago também procurava?! - e que ele o tenha levado consigo para o seu planeta. Sei que eles se dariam bem e que a bicicleta do Tiago faria os encantos do principezinho. Pode ser que andem por lá os dois...» (p. 99).

You Might Also Like

17 comentários

  1. Adoro O Principezinho e ja o temos ca em casa e esse e sem duvida um excelente livro para o nosso Lu :)
    Muito obrigada pela sugestao :)
    Bjinhosss
    https://matildeferreira.co.uk/

    ResponderEliminar
  2. Sempre gostei muito deste livro!

    Beijinhos,
    Inês
    http://www.indiglitz.pt

    ResponderEliminar
  3. Olha que o livro me parece delicioso! Eu também adorei o Principezinho!

    THE PINK ELEPHANT SHOE

    ResponderEliminar
  4. Um livro de que gostei bastante.
    Um abraço e boa semana.
    Livros-Autografados

    ResponderEliminar
  5. Gosto muito do livro e do Principezinho. Imtemporal, para pequenos e graúdos.

    ResponderEliminar
  6. Um clássico imperdível
    Beijos e um ótimo dia

    ResponderEliminar
  7. Deveria ser leitura obrigatória =)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Fiquei curiosa para ler este livro. A minha versão preferida é a do José Luís Peixoto que saiu com o Expresso. É uma relíquia enorme :).

    Vou ter que comprar este também.

    Beijinhos :*

    ResponderEliminar
  9. Uma espécie de remake d' O Principezinho? Giro. Parece-me interessante =)

    ResponderEliminar
  10. Também gosto do Princepezinho e há uma frase que eu gosto desse livro: pergunta a Alice, para onde o caminho? E responde, depende do caminho que queres seguir. Um livro que devia ser obrigatório a ler.
    Beijinhos Andreia

    ResponderEliminar
  11. Esse livro já rodou pela família, agora está
    na casa de meu irmão.

    ResponderEliminar
  12. Esse livro já rodou pela família, agora está
    na casa de meu irmão.

    ResponderEliminar
  13. Tenho de ler também. Também adoro o Principezinho *.*

    ResponderEliminar