2 dias, 2 concertos


«A música pode mudar o mundo porque pode mudar as pessoas», Bono Vox


A oportunidade de vermos os nossos artistas favoritos a atuar ao vivo é indescritível. Especial. Mágica. Memorável. Quando esse momento se repete é um privilégio infinito. 

Os D.A.M.A e os Expensive Soul são duas bandas portuguesas que acompanho com bastante regularidade, ainda que, maioritariamente, à distância. E se, comparativamente, os primeiros têm uma carreira mais recente, os segundos já contam com 17 anos neste mundo musical. Com um estilo muito próprio, que me fascina por diversas razões, o percurso de ambas tem sido em crescendo. E não vão parar por aqui!

Vi os D.A.M.A pela primeira vez o ano passado, na Avenida dos Aliados, por altura do São João. Depois disso, tentei vê-los na Queima das Fitas, mas sem sucesso. Já o meu primeiro concerto dos Expensive Soul foi em 2012, no Mar Shopping. E foi com eles que entrei em 2015, quando atuaram nos Aliados após o fogo de artifício tão característico da passagem de ano. Em dias e contextos diferentes, voltei a reencontrar os D.A.M.A na passada sexta-feira, na Festa da Broa, em Avintes. Enquanto que os Expensive Soul me fizeram regressar à Alameda 8, em Espinho, onde já fui muito feliz a ver outros artistas que admiro - Aurora, Rita Guerra e Diogo Piçarra. Não poderia pedir melhor!

Foram concertos únicos. E tiveram tanto de intimista, como de eletrizante. A paixão pela música é visível, assim como a dedicação e o compromisso que assumem diariamente, não só entre eles, mas também com o público que os segue. É impossível estabelecer uma comparação, precisamente por serem tão diferentes, ainda que encontre detalhes que os possam aproximar. E se os Expensive Soul são a minha banda favorita, os D.A.M.A também ocupam um lugar de destaque. E sabem o que é melhor? É sentir que em cima do palco estão amigos; está uma família. Porque isso reconhece-se. Essa simbiose não se consegue fingir. Ou é verdadeira ou não existe. E se não existisse, o mais provável é que já não estivessem juntos.

Particularizando, achei bastante interessante que os D.A.M.A tivessem os vídeos das músicas a passar enquanto as iam cantando/tocando. Além de terem feito uma alternância bem conseguida entre aquelas que são mais calmas e aquelas que são mais ritmadas. Jovens, divertidos e cheios de garra, presentearam-nos com um pequeno medley de canções tão famosas como, por exemplo, «A loja do mestre André» e o «Malhão». Os Expensive Soul, por seu lado, levaram-nos a viajar no tempo quando apresentaram os temas que marcam o seu início e que ainda hoje sabemos de cor. E pintaram o céu com balões gigantes e de várias cores, que foram sobrevoando graças à multidão, dando um efeito extraordinário. Em comum, entre outras coisas, têm o facto de as suas vozes serem ainda mais bonitas ao vivo e de se perceber de quanto talento são feitos. Com uma energia contagiante, as bandas não pararam de surpreender e a verdade é que as despedidas chegaram demasiado depressa. Envolveram-nos a todos! Não posso, porém, deixar de referenciar a Jaguar Band (Expensive Soul) e os músicos que acompanham os D.A.M.A, porque são incríveis e fazem com que o espetáculo tenha outra dinâmica. Só posso tecer elogios a todos, pois aquilo que fazem é de enorme qualidade.  

Durante mais de hora e meia, cantei, saltei, gritei, dancei e reforcei a imagem que tenho deles. O Demo, dos Expensive Soul, disse uma frase com a qual não poderia estar mais de acordo: «temos que valorizar o que é nosso». Temos mesmo. Porque há muito talento no nosso país. E eles são a prova disso! Felizmente, não sou a única a sabê-lo, uma vez que houve casa cheia nos dois dias. Só espero poder vê-los mais vezes. Até lá, continuarei atenta aos seus passos. A emocionar-me. E a orgulhar-me de todas as conquistas. Uma vénia infinita. 

Deixo-vos, agora, com algumas fotografias:


D.A.M.A











Expensive Soul











Gostam das bandas? Já tiveram a oportunidade de os ver ao vivo? Estiveram presentes em algum destes concertos? 

You Might Also Like

16 comentários

  1. Também nunca os vi, gostei de ver as fotografias.
    Um abraço e boa semana.
    Andarilhar

    ResponderEliminar
  2. Também já vi os Dama, queria ver era o Diogo Piçarra*.*

    ResponderEliminar
  3. Gosto de ambas. Nunca os vi ao vivo; mas têm excelentes músicas.

    r: é tão linda, uma pena que tenham deixado de a passar nas rádios.

    ResponderEliminar
  4. Adoro ver os DAMA ao vivo, transmitem uma energia incrivel!

    ResponderEliminar
  5. Adoro os D.A.M.A. já os expensive soul não acompanho muito. Gosto de algumas músicas, só.

    Querida desculpa, o meu link da fanpage tem blogoficial, enganei-me meti blogspot.pt lool obrigada por me avisares. Podes fazer nova participação se quiseres. Beijinho

    ResponderEliminar
  6. Já vi ambas ao vivo, mas preferi os Expensive Soul :)

    http://ruteritamaia.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  7. Obrigada pelo comentário!
    Já vi os dois mas, sinceramente, gostei muito mais da energia dos D.A.M.A!

    Beijinhos
    http://that-g-i-r-l.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  8. Não vi nenhuma das duas ao vivo, mas se tiver oportunidade já sei que não a possa desperdiçar! =)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Eu vi os Expensive Soul no passado Sábado em Espinho :) Já os tinha visto ao vivo anteriormente e mais uma vez estiveram muito bem!

    http://checkinonline.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  10. Verdade!

    Ainda não conhecia essas bandas!

    Ótima segunda!

    Beijo! ^^

    ResponderEliminar
  11. Que show arrasou, tenha uma semana abençoada, obrigado pela visita.
    Blog:https://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/
    Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

    ResponderEliminar
  12. Fica fabuloso :D Em malas, então, é de cair o queixo :D

    Eu adorei ver DAMA no RIR. São impecáveis :D

    NEW TIPS POST | How to get a Bulky Hair.
    InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar