If you really knew me...


«Encontra o caminho aquele que rompe as próprias máscaras, encara a verdade sobre si mesmo, experimenta a amplitude de sua vulnerabilidade e age, superando-se continuamente», Maria Aparecida Giacomini Dóro.


Fiquei a conhecer o projeto «If you really knew me...» (podem saber em que consiste aqui) através do blog da Bu' e já há algum tempo que queria participar. Contudo, acho que me faltou a coragem suficiente para fazê-lo mais cedo. Não é fácil pousarmos a máscara que usamos para nos proteger de algumas coisas e sermos nós sem qualquer filtro, sobretudo quando isso implica expor-nos sem medos. A verdade é que os temos e nem sempre são poucos. Mas como em tudo na vida, chega a uma altura em que percebemos que tem que ser. E a sensação de liberdade que surge depois disso é reconfortante. Senti que era o momento de me dar a conhecer, talvez de uma maneira que só eu me conheço. E sabem uma coisa? Fez-me bem! Sem mais demoras, deixo-vos com o meu simbólico contributo:


Se tu realmente me conhecesses saberias que... 

Nunca me achei bonita. Quando me olho ao espelho não consigo encontrar algo que seja suficientemente merecedor de atenção por parte das outras pessoas. Eu sei, o que importa - ou o que deveria importar - é a personalidade, mas todos nós sabemos que ainda há quem viva de aparências, como se beleza fosse sinónimo de sermos boas pessoas. Nunca gostei do meu corpo, porque sempre fui gorda. Inevitavelmente, há complexos que surgem e mecanismos de defesa que se desenvolvem. Tento muitas vezes lutar contra isso, mas por qualquer razão volto à estaca zero, como se me sabotasse propositadamente. Ou me tivesse conformado que seria assim para o resto da vida.

Não me lembro de alguma vez ter ouvido um rapaz dizer que era bonita ou a mulher da vida dele. Nem me recordo do que é estar numa relação, sentir-me amada e desejada. E muitas vezes questiono-me se algum dia voltarei a sentir tudo isso. A ter aquele frio na barriga e saber que do outro lado há correspondência. Sou insegura quanto às minhas qualidades, duvido muitas vezes que sou capaz e tenho medo da solidão. Sempre quis casar e ser mãe, mas às vezes pergunto-me se algum dia realizarei esse sonho porque acho que nunca serei suficientemente boa para que alguém queira passar o resto da sua vida ao meu lado. Tenho vinte e dois anos, muito pela frente, mas há momentos em que me sinto a ficar para trás. 

Guardo muitas coisas só para mim. Prefiro ouvir os problemas dos outros, para os tentar ajudar, do que preocupá-los com os meus. Choro sozinha e odeio que me vejam chorar. Não porque veja isso como uma fraqueza, mas precisamente por não querer que se preocupem comigo. Nunca me vitimizei, nem sinto pena de mim. Nunca me olhei como «coitadinha», nem o podia fazer. Se calhar, hoje gosto um pouco mais de mim, mas ainda tenho um longo caminho pela frente. Aceitar-me como sou devia ser intrínseco à personalidade, mas é das coisas mais difíceis de se conquistar. E a minha timidez leva-me a ter receio de avançar.

Tenho muitas saudades da minha avó. Ainda há alturas em que espero que, por volta do meio dia, chegue a casa depois do seu passeio diário. Há coisas que continuam a magoar, pessoas que deviam ter estado presentes e não estiveram. Talvez me falte a capacidade de perdoar essa falha dos outros. Tenho igualmente saudades do meu avô. E o dia em que faleceu, por ter sido no dia do meu aniversário, foi - e continua a ser - o mais traumático. Já tinha partilhado esta informação com algumas pessoas próximas, mas só o ano passado é que consegui escrever detalhadamente sobre o assunto, muito por culpa da música «Volta» do Diogo Piçarra.  

Nos últimos dois anos desiludi-me com duas pessoas bastante importantes e acho que isso abalou a minha confiança e fez-me repensar na forma como me entrego aos outros . Amei em segredo e engoli muitos sapos em prol de amizades. E no fim sempre achei que a culpa das coisas não resultarem era minha, que podia ter feito mais. E talvez hoje continue a achar o mesmo. E que, se calhar, se fosse embora daqui não faria assim tanta falta.  

Independentemente de tudo isso, saio sempre de casa com um sorriso nos lábios e continuo a acreditar que um dia vou encontrar o amor da minha vida. Continuo a achar-me a pessoa mais sortuda do mundo por ter a família que tenho e os amigos que conheci ao longo do tempo. Aprendi a ter força e a não deixar que algumas coisas me derrubem. Há pormenores que só eu sei, dúvidas que me perseguem, inseguranças que não consigo deixar para trás. Mas esta sou eu, sem filtro e sem máscaras. E talvez um dia descubra que sou bonita exatamente por ser assim. 

E se eu te conhecesse realmente como seria? 

You Might Also Like

27 comentários

  1. Hoje é o dia de ficar com o coração nas mãos. Primeiro o JLP com uma crónica comovente sobre o pai e agora isto...

    Sem palavras querida, adorei.

    Infelizmente, há sempre situações que nos marcam pela negativa e nos magoam. Sei o que isso é...

    Lembra-te que apesar de não gostares da imagem que o espelho devolve, o mais importante é gostarem de nós pelo que somos, é darem-nos o devido valor sejamos isto ou aquilo.

    Força!!! :)

    Eu gosto de ti como és!

    Beijinho!

    ResponderEliminar
  2. Oh minha querida, só posso dizer que adoro a pessoa que és :) acho-te super querida e fofinha e gosto de ti :')

    Quanto a mim, acredites ou não ontem comecei a escrever a minha participação neste «desafio» eheh também já o conhecia mas tal como tu a coragem ainda não me tinha chegado. Ontem já comecei a escrever o rascunho e em princípio será esta semana publicado portanto depois vais lá ver a resposta à tua última pergunta ;)

    ResponderEliminar
  3. r: eu percebo, às vezes o facto de dizermos as coisas em «voz alta» parece que as torna mais reais e temos receio. Compreendo perfeitamente, acredita ;)

    ResponderEliminar
  4. O sorriso nunca deve sair dos lábios, mesmo que os problemas venha nos assolar Andreia beijão.
    Blog /Fan Page / Twitter /

    ResponderEliminar
  5. Deixaste-me sem palavras.

    Abres o coração e cada vez te acho mais encantadora.

    Sê tu própria, o resto virá.

    Ah! E nunca te esqueças de ser a tua melhor amiga.

    Beijinhos e és tão novinha...aproveita e bem.

    ResponderEliminar
  6. Denuncia aquilo que menos queremos que saibam. É isso mesmo.

    ResponderEliminar
  7. Que texto sincero, crú, verdadeiro :(.
    Fiquei triste ao saber das inseguranças que te consomem e que te impedem de perceber a pessoa linda que és (pelo que conheço de ti, pelo blogue, dá para perceber que és uma pessoa fantástica).
    Só te posso dizer que o corpo é apenas uma embalagem que nós podemos trabalhar. Se não te sentes feliz com ela tenta encontrar formas que te permitam alcançar os resultados que pretendes. E, ao contrário do que as outras pessoas possam pensar, faz isso por ti, para te sentires bem, bonita, e não para que os outros achem que precisas de te enquadrar no estereótipo da mulher perfeita.
    Faz isso por ti, para gostares de ti, e para não fechares portas à felicidade.
    Ah, já agora, eu conheci a metade da minha laranja aos 23 anos e até lá também tudo me parecia impossível :).
    As coisas mudam quando menos esperas :).

    ResponderEliminar
  8. Texto maravilhoso tem um vesiculo na bíblia diz andas na verdade
    e a verdade vos libertara por isso ser verdadeiro é tudo de bom,
    Siga e curta o meu canal Nekitareis

    ResponderEliminar
  9. Pelo que conheço de ti, para mim, és uma pessoa bonita! Como a Cê disse e muito bem o corpo é uma embalagem que podes trabalhar para te sentires melhor, nunca para agradar os outros. Tens que tentar ser menos exigente contigo própria e pensar mais em ti. Tenta desabafar com alguma pessoa que te sintas mesmo bem. Quando desabafamos os problemas parecem ser muito mais pequenos.
    Tenho a certeza que o amor da tua vida está por aí à tua procura enquanto isto não acontece não te preocupes com isto, és nova. Sê feliz!! Beijinho *

    ResponderEliminar
  10. Acho que nunca te disse mas és uma das únicas pessoas com quem acho que me iria identificar mais e que me daria bem se nos conhecessemos. E este post ainda vem mostrar mais isso. Temos várias destas coisas em comum.

    Se eu tiver coragem (que não me parece), também vou fazer isto.

    ResponderEliminar
  11. Temos muito em comum na maneira de pensar. Revejo-me nalgumas coisas que falaste, temos experiências de vida diferentes contudo, alguns sentimentos são os mesmos, principalmente a parte em não aceitarmos o nosso aspecto em frente ao espelho. Como tu, também valorizo mais a personalidade e, eu posso nunca te ter conhecido pessoalmente mas, pelo que tenho visto és uma pessoa maravilhosa, linda! Tomara que muitas pessoas fossem como tu, o mundo seria um lugar mais feliz!

    MORNING DREAMS

    Sofia Silva

    Beijos*

    ResponderEliminar
  12. Ohh.. Não! Deste não gostei :( Isto é, gosto sempre da forma com que usas as palavras, mas não gostei das palavras que escreveste.. Apesar disso, tens de gostar de ti própria e sentir-te bem com a pessoa que és. Beijinho

    ResponderEliminar
  13. Depois de ler tudo isto digo-te que és uma pessoa muito forte. E atenção que eu nunca duvidei disso, não falamos muito e de todo que talvez nem falemos nada MAS considerei-te sempre uma amiga do coração porque sempre estiveste presente. Digo-te também que tens o meu facebook e quero que o uses nem que seja porque não tens ninguém com quem berrar. Pode-me calhar essa rifa a mim.
    Mais ainda: tu és linda. Não só por fora como por dentro e nada dará mais prazer a um Homem (com H grande) do que ter uma Mulher como tu! Mas ainda não chegou o teu Homem com H grande e para virem uns com o "agazinho pequeno" mais vale que se deixem estar no seu canto.
    Tristezas fazem-nos crescer, ficar mais fortes... Por muito que doa por dentro, seremos de ferro por fora.
    Um grande beijinho!

    ResponderEliminar
  14. O MAIOR conselho que te posso dar é trabalhares dia-a-dia a tua auto-estima, o que vai fazer com que a tua Confiança aumente e isso... será transparente aos outros que te passarão a olhar com outros olhos ;)
    No que eu puder ajudar, NÃO HESITES , contacta-me, terei todo o gosto.


    Beijinho e abraço (virtual) bemmmm apertadinho
    www.tarasemanias.pt

    ResponderEliminar
  15. r: é mesmo querida, ficamos sempre a questionar-nos o que será que as pessoas vão dizer ou pensar. Como irão reagir, porque nunca antes vimos ninguém reagir aos nossos monstros a não sermos nós mesmas. Eheh somos originais ;)

    ResponderEliminar
  16. Olá Andreia

    As tuas palavras mostram uma menina mulher cheia de sinceridade, sensibilidade, doçura e gentileza, como pode alguém resistir a tamanhos encantos? Ainda és muito nova, a vida há-de trazer-te muitas surpresas boas. :)

    Tudo de bom, beijinhos

    ResponderEliminar
  17. Sê , SEMPRE, tu mesma =)
    Um dia destes encontras a tua outra metade que vai gostar de ti tal e qual como és: Linda!

    beijinho grande

    ResponderEliminar
  18. Adorei o texto apesar de ser bastante revelador da tua pessoa, acho que deves trabalhar esse teu lado da confiança, gostares de ti própria tal e qual como és, e ser forte.Se precisares de alguma coisa é só dizeres.
    beijinhos
    http://retromaggie.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  19. És uma menina corajosa por responderes a este desafio e deixaste-me de coração apertado...

    Mas acredita que és bonita, apesar de muitas vezes não acreditarmos nesta frase, mas é bem verdade, acabei de olhar para a tua foto do face e sorri imediatamente, tens um sorriso gigante, doce como tu és, um cabelo de me meter inveja ehehehe. Mas é normal estas inseguranças, penso que todas nós, por vezes não nos achamos bonitas mesmo sendo e como diz a Cê, o corpo é uma embalagem apenas e podemos trabalhá-lo, mas concordo inteiramente com ela, ao mudares que seja por ti, para te sentires melhor contigo mesma.

    Vais ser amada e desejada, acredita e vai aparecer alguém que te vai dizer que és a mulher da vida dele e melhor, vais sentir esse friozinho na barriga e retribuir o que ele te disse. És muito novinha realmente, dá tempo ao tempo querida, quando acontecer, vais-te lembrar destes medos e sorrir ;) Não vais ficar para trás, acredita.

    Eu também guardo muito para mim, sei bem que não é bom, mas.. e também choro quando estou sozinha. Mas temos mesmo que gostarmos de nós e de nos aceitarmos como somos.

    É muito difícil as saudades de quem amamos tanto e que já partiram...mas estarão sempre vivos no teu coração e na tua memória, mas não é fácil mesmo :(

    Não penses isso querida, se fosses embora, que não farias falta, fazes sim, acredita. E não te culpabilizes Andreia do que não correu como esperavas ou das pessoas que te desiludiram.

    Gostei do último parágrafo, sai sim com um sorriso nos lábios, um dia vais encontrar o homem da tua vida, ter a tua casinha no Alentejo, a tua carrinha pão de forma e os teus pequenotes à tua volta. Apoia-te sim na família, nos amigos e és bonita sim, exactamente assim. Para mim, és um doce de menina, tens sempre uma palavra querida de força, de carinho. Gosto do que partilhas e do que és. Tenho 33, já encontrei o amor da minha vida, mas sempre pensei que nesta altura já teria os meus pequenotes, mas tenho que acreditar que tudo vai correr bem, mesmo que por vezes desanime, mesmo que por vezes desanimemos. Temos que acreditar. Força querida, um beijinho muito grande.

    *E desculpa o texto enorme.

    ResponderEliminar
  20. Seria muito parecida contigo. E, por isso, sei que tens dentro de ti a força necessária para seguir em frente mesmo que tropeces pelo caminho. Vais chegar longe e a felicidade nunca vai sair da tua vida :) Muitos sorrisos para ti minha querida!

    ResponderEliminar
  21. Estive um bocadinho ausente da blogosfera porque eliminei o meu blogue antigo, mas agora voltei aqui e depois de ter lido isto quero dizer-te que me identifico imenso contigo, mais do que talvez possas imaginar. Quero fazer-te saber que não mereces sentir-te assim, logo tu. Pelo que conheço de ti, sei que és um doce de pessoa. Não te podes deixar ir abaixo com essas inseguranças, não são elas que definem quem és e o que vales. Não são, de todo.
    Aprenderes a gostar é a melhor conquista que poderás alcançar. E eu sei, eu sei que vais conseguir.
    Força, minha querida, e se precisares de alguma coisa sabes que podes contar comigo. Um beijinho grande*

    ResponderEliminar
  22. Seria muito à volta disto sabias ?
    A maneira como te sentes com o teu corpo, a tua avó, tudo!
    Quando ouves a música "volta" pensas nela não é?

    ResponderEliminar
  23. Olá Andreia! :) Adorei o que aqui escreves-te. Tenho-te a dizer que depois de ler isto, me considero em muitos aspectos (muitos mesmo) parecida contigo.
    Apesar de te conhecer pouquinho, gosto muito da tua maneira de ser e admiro-a. És linda, nunca tenhas dúvidas disso. Beijinho Grande!

    ResponderEliminar
  24. Olá, minha querida :) muito, muito obrigada!
    Acredita que é reciproco e também nunca duvides que és linda. Aos pouquinhos vamos conseguindo aceitarmo-nos como somos e gostar de nós. A mudança tem que partir de dentro e nós vamos ser capazes disso. Um grande beijinho*

    ResponderEliminar