Minutos com história II


«Num filme o que importa não é a realidade, mas o que dela possa extrair a imaginação», Charles Chaplin


O São João chegou mais cedo ao Porto. Com um mês de antecedência, é inaugurada aquela que é a maior festa da cidade. Contando com mais de duzentos eventos, serão seis semanas de festa constante, onde a música será a grande aposta - Os Azeitonas, GNR, Ana Moura, Bob Sinclar -, «a par da tradição, da animação de rua e do desporto». Há atividades para todos os gostos, podendo ser encontradas ótimas sugestões para um dia diferente em família. Sempre a pensar nas pessoas da cidade, e não só, como é bom de salientar, este será o São João mais longo - de 23 de maio a 29 de junho -, por isso muito haverá a acontecer. Consultem a agenda aqui e deixem-se envolver pela magia que já se faz sentir. Para quem puder, não perca a oportunidade de vir ao Porto num destes dias e, se possível, desfrutar da noite mais longa do ano, como é apelidada por muitos, pois o auge desta festa será mesmo de 23 para 24 de junho. 

O segundo Minutos com história é dedicado à inauguração da Festa de São João do Porto 2014. Decorreu ontem, dia 23 de Maio, com um espetáculo multimédia - videomapping 3D na Fachada do Edifício da Câmara Municipal do Porto. «Desenvolvido pela Agência Gema, contou com a participação do historiador Joel Cleto, na conceção da ideia original que serviu de base ao guião final. “O motivo ‘inspirador’ do espetáculo foi uma das tapeçarias do conjunto artístico definido e produzido por Mestre Guilherme Camarinha (1912-1994), em 1962, para a Sala das Sessões dos Paços do Concelho. Esta tapeçaria - localizada na parede poente da sala - é toda ela consagrada aos festejos sanjoaninos, encontrando-se repleta de simbologia sacra e profana associada a este momento anual incontornável da sociabilidade e da identidade portuense"».

Arrancaram, assim, os festejos com um espetáculo inédito na cidade, que «revisitará os símbolos e as tradições», com sessões de meia em meia hora até à uma da manhã. Hoje e amanhã também haverá sessões diárias. O horário de sábado é igual ao de sexta (22h-1h), mas no domingo só será possível visualiza-lo até às 23h.  

Sempre senti o São João como uma festa em família, e é assim que passo a noite de 23 para 24 de junho - e o próprio dia -, portanto não podia ter ficado mais satisfeita e feliz com esta notícia. Ontem lá estive para presenciar o momento e, apesar de ter começado com uma hora de atraso por causa de problemas técnicos, valeu bem a pena esperar. São dez minutos tão cheios de cor, simbolismo, história, animação, festa que parece ter sido mais. Por mim, bem que podia ter mais tempo porque quando as coisas são feitas com tanta dedicação e profissionalismo achamos que é sempre pouco.

Para quem não teve a oportunidade de ver ao vivo, deixo-vos os vídeos que fiz ontem. Têm mais tempo do que aquele que estipulei para esta rubrica, mas achei que valia a pena mostrar-vos o espetáculo completo. Apesar de não serem de grande qualidade, espero que gostem tanto quanto eu gostei. Quem puder, ainda tem oportunidade para ir hoje e amanhã. Aproveitem!




Alguém esteve na Avenida dos Aliados ontem? Digam-me o que acharam.  

You Might Also Like

21 comentários

  1. adorava ir :D
    bom fim de semana :)
    beijinhos

    ResponderEliminar
  2. resp privado: espero mesmo que sim :p
    agora que sabes quem sou, surpreendida? ou já estavas à espera?

    ResponderEliminar
  3. resp privado: quem me dera ter ;)
    sim é verdade, mas é sempre estranho conhecer finalmente a face de alguém que antes não era definida.

    ResponderEliminar
  4. resp: sim, deves ter razão mas parece que não sei mesmo.

    ResponderEliminar
  5. Não sou do Norte mas aposto que o São João é vivido com enorme alegria :)

    ResponderEliminar
  6. Nossa, o São João parece ser bem animado aí! Gostaria muito de ter a oportunidade de conhecer. O espetáculo imagético é lindo. Uma vez fizeram aqui no Natal e foi realmente incrível.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Eu adoroo a festa de S. João mas a de cá de Braga, é simplesmente brutal *o*
    R: É verdade, mas olha que a musica brasileira é ouvida em muitos países..... então, se a deles rola porque é que a nossa não pode rolar?
    E eu se conseguir ir para o ano, vou ver se fico lá uma semana, pois acredita que há muito para visitar e muito espectáculo para assistir ainda fofa :'D

    ResponderEliminar
  8. mas esses inventos parece estar interessantes *-*

    ResponderEliminar
  9. Já ouvi falar muito desta técnica mas nunca a vi em ação ao vivo. Pode ser que um dia tenha essa oportunidade :)

    ResponderEliminar
  10. Ena até o bob sinclair voltou à rambóia agora. Nunca fui às celebrações mas deve ser um bom festão. Não obstante não percebo o porquê de ser tão cedo este ano. Em Lisboa já se faz a contagem decrescente para os Santos.

    ResponderEliminar
  11. Tem gente egoísta que só pensa nela própria e esse é dos principais problemas :s
    Obrigada e igualmente *

    ResponderEliminar
  12. Aqui vai a sinopse:

    Esta é a saga de uma familia italiana que trocou a Europa miserável dos finais da Primeira Guerra Mundial por uma promessa de futuro em terra de índios. As mulheres de caráter forte e personalidade vincada de todas as gerações - a Francesca empreendedora e sensual; a Vittoria que recusa entregar a propriedade aos índios em tempos de reforma agrária e, paradoxalmente, acaba comunista; a Leonarda rebelde e aparentemente fútil que se torna amante de um membro da Resistência em Paris; a Valentina bastarda que aparece à familia apenas com quinze anos e que, presa nas cadeias da ditadura, é obrigada a exilar-se, e outras - compõem uma narrativa que não perde o ritmo do principio ao fim. Os diversos temas que fevilham no cadinho literário de Amalia Decker Márquez são manejados com grande desenvoltura e vão das lutas pelas utopias às vivências sensuais e róticas das protagonistas. A narradora de Tardes de chuva e chocolate descobre não só as pequenas epopeias dessas mulheres corajosas da sua familia, mas tambem os prazeres secretos - da mesa e da cama - que estas herdaram desde a chegada de Francesca, a que trouxe a origem italiana à bucólica Cochabamba dos principios do século xx.

    Não conhecia esta escritora, mas por 1€ acho que vale apena e a capa e bonita :D

    Beijinhos, Sofia Pinto
    http://morningdreamsfree.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  13. é que é mesmo parece que não tenho tempo para nada s:

    ResponderEliminar
  14. Não sou grande fã do São João nem de nenhuma festa popular do género*

    ResponderEliminar
  15. Já ouve algo parecido em cascais se não estou em erro, pena ser de longe senão tinha ido ver :)
    Beijinhos
    http://retromaggie.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  16. Já ouve algo parecido em cascais se não estou em erro, pena ser de longe senão tinha ido ver :)
    Beijinhos
    http://retromaggie.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  17. Já ouve algo parecido em cascais se não estou em erro, pena ser de longe senão tinha ido ver :)
    Beijinhos
    http://retromaggie.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  18. Não sou do Norte mas deve ser algo único, muito alegre.


    p.s: Adoroo ler o teu blog. Desculpa a ausência

    ResponderEliminar
  19. Muito Obrigada pela dica, quem sabe consigo ir ;)

    Sónia
    Taras e Manias

    ResponderEliminar