Entrelinhas


«Sempre imaginei que o paraíso fosse uma espécie de livraria», Jorge Luis Borges


Entrelinhas surge pelo meu incurável gosto pela leitura. Pela enorme vontade que tenho em pegar num livro e mergulhar nas suas páginas, conhecer a sua história, passear de braço dado com as personagens ou, simplesmente, imaginar todo aquele enredo a acontecer à minha frente, como se desenrolasse uma fita de cassete de vídeo. Decidi falar-vos do que leio. Dar-vos a conhecer as histórias que me acompanham e os escritores que me fascinam. Não terá uma periodicidade definida, mas tentarei que seja semanal, até porque a quantidade de livros lidos já é alguma. E a vontade de vos falar sobre eles é ainda maior.

Sem comentários:

Enviar um comentário