UMA DÚZIA DE LIVROS // AGOSTO

by - agosto 22, 2019

Fotografia da minha autoria


Tema: Um livro escrito na primeira pessoa


As histórias de vida, contadas pelo coração dos seus protagonistas, provocam-nos sempre algum tipo de empatia e comoção, porque há uma proximidade que é quase palpável. O discurso na primeira pessoa, quando sabemos que autor e personagem são um só, abre-nos a porta para uma divisão mais íntima. Talvez não conheçamos as profundezas da casa, mas ficaremos sentados no sofá da sala a descobrir memórias, entre bolachas e chávenas de chá. Por isso, quando vi o mais recente tema de Uma Dúzia de Livros, não hesitei na minha escolha. E deixei-me transportar para uma China vista - e vivida - por Mo Yan.

Mudanças figura na minha estante há algum tempo. Inclusivamente, já me tinha envolvido com as suas páginas pintadas a palavras, testemunhos e recordações distintas. No entanto, reconheço agora, não o fiz na ocasião mais apropriada, uma vez que ainda não tinha maturidade suficiente para compreender as entrelinhas e o poder da mensagem. E como acredito que cada livro tem o seu momento certo, prometi que voltaria a lê-lo, dedicando-lhe o compromisso que necessita. Apesar disso, é muito fácil acompanharmos a linguagem do escritor, porque é acessível, construindo uma ponte que todos somos capazes de atravessar. E é assim que, através deste romance com traços de autobiografia, constatamos as alterações políticas e sociais do seu país, privando com a história do povo e a vida de um cidadão comum.

Mo Yan, contudo, não desenvolve um relato denso de todas as transformações, mas conseguimos percecioná-las pelo crescimento dos intervenientes. Portanto, com avanços e recuos temporais, contactamos com situações banais e caricatas do quotidiano, na mesma medida que nos cruzamos com um cenário de sofrimento e resistência. Numa clara hierarquia social, «analisa a sociedade através de uma multiplicidade de lentes», expondo as desigualdades económicas, o jogo de interesses, a corrupção, o sistema injusto e desleal e a travessia entre o «passado comunista da China e a transformação ocorrida no fim da era Maoísta» - correspondendo à época da infância e adolescência do autor. Com um registo irónico e despretensioso, compreende-se que não pretende julgar as figuras de poder, mas antes observar e descrever os acontecimentos na realidade em que se manifestaram. E é curioso como o seu pseudónimo - Mo Yan - é a antítese da sua postura, pois significa «não fale». Do que consegui apurar, adotou-o por conselho dos pais, que o alertaram para que resguardasse as suas opiniões em público, porém, utiliza as palavras escritas como seu dialeto.

As contrariedades, o regresso a casa, a desilusão, o esfumar de um sonho, o aparecimento da escrita e da vontade de ser escritor, a passagem pelo exército e o lutar «contra um futuro» obscuro são tudo compartimentos desta narrativa. Assumindo um caráter particular, não existe um foco excessivo na parte política, mas, sim, um elevar da parte humana. Desta forma, Mudanças é um livro cheio de memórias. Além disso, é feito de pessoas, das suas histórias e da força que carregam no peito. E é por elas que Mo Yan, quase como se nos posicionasse ao seu lado, nos escreve este relato a transbordar vida[s].


Deixo-vos, agora, com algumas citações:

«Eu sempre fora um miúdo inseguro e azarado que muitas vezes era demasiado esperto para o seu próprio bem» [p:12];

«- És demasiado talentoso para desperdiçares a vida a conduzir camiões. Seria como matar um mosquito com um canhão. Sê paciente. A sorte há-de bafejar-te um dia» [p:75];

«[...] não percas de vista quem és por causa de uma mão-cheia de dinheiro. Vai por mim: o dinheiro não é tudo» [p:130].


Disponibilidade - Wook: Livro // Bertrand: Livro [esgotado, mas podem pedir para serem avisados quando voltar a estar disponível]

Nota: O blogue é afiliado da Wook e da Bertrand. Ao adquirirem o[s] artigo[s] através dos links disponibilizados estão a contribuir para o seu crescimento literário - e não só. Obrigada ♥

You May Also Like

26 comentários

  1. Obrigada pela partilha. Não conhecia o autor e fiquei curiosa para ler. Vai já para a minha lista. Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Até ao momento, foi o único livro que li de Mo Yan, mas gostei muito!

      Eliminar
  2. Eu adoro historias de vida e esta parece uma boa sugestao pelo teu excelente review :)
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Senti que tem uma dinâmica muito interessante e descomplicada, embora aborde temas importantes!

      Eliminar
  3. Gostei muito da análise e apresentação do livro. Não conhecia o autor e vou acrescentar à lista. Estou numa fase em que, nos meus tempos livres, apenas acabo por ler dois tipos de livros, aqueles que substituo no lugar de um filme e que não me fazem pensar, acabo por os "visualizar" com a leitura e aqueles que acrescentam um ponto, uma experiência, a vivência pessoal, cultural de alguém como esse livro que acabou de descrever tão bem.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada :)
      Aproveitar o nosso tempo livre com livros transmite um aconchego tremendo! E é importante sabermos adequar as nossas necessidades do momento às histórias que queremos abraçar

      Eliminar
  4. Sou fascinada por livros baseados em factos reais. Bjs

    ResponderEliminar
  5. Fiquei curiosa. Vou ver se compro o livro. Excelente 5ªFeira.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se leres, depois diz-me o que achaste :)
      Obrigada e boa sexta-feira!

      Eliminar
  6. Parece-me uma bela sugestão! :)

    www.amarcadamarta.pt

    ResponderEliminar
  7. Confesso que ainda não tinha ouvido falar desse livro nem do autor
    Beijinhos
    Novo post
    Tem post novos todos os dias

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também foi uma descoberta para mim, há uns anos, quando me ofereceram o livro. Recomendo :)

      Eliminar
  8. Qual, na tua opinião, o melhor livro de ficção cientifica?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é um género no qual invista, por isso, não tenho como estabelecer essa comparação :/

      Eliminar
  9. Olá
    Mais uma sugestão interessante, gosto de livros escritos na primeira pessoa!!
    xoxo

    marisasclosetblog.com

    ResponderEliminar
  10. Uma excelente análise de "Mudanças", romance do escritor chinês Mo Yan, galardoado com o Nobel de literatura em 2012‼

    ResponderEliminar
  11. Que artigo excelente, seu site é muito bom mesmo, estou toda semana visitando e lendo seus artigos.

    Parabéns!

    Meu Blog: Blog Loteria Vale Sorte

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Taynara! É mesmo importante saber isso *-*

      Eliminar
  12. Respostas
    1. Sinto que não teve assim tanta projeção cá, mas posso estar enganada :/

      Eliminar