Entrelinhas #53

Fotografia da minha autoria


«Este é um livro sobre descerrar janelas e deixar o sol entrar»



As histórias fazem-nos sonhar. Percorremos o seu enredo com a mesma ansiedade com que avançamos na nossa vida. Porque, se for bom, esta ligação é quase visceral, ao ponto de nos sentirmos como mais uma das suas personagens. Mas não é apenas em casos destes que me entrego por completo, pois nutro o mesmo tipo de identificação por livros constituídos por textos soltos - com ou sem qualquer fio condutor entre si. O segredo está na qualidade. E na capacidade que o autor tem para fazer-nos viajar, mesmo que em poucas frases.

A Sofia Castro Fernandes tem esse talento inegável, até porque consegue transmitir-nos muito sem recorrer a discursos longos. E isso é absolutamente fascinante, uma vez que, dotada de poder de síntese, não perde o essencial: a comoção de cada temática. Apesar de não acompanhar, regularmente, o seu blogue, fico sempre encantada com as mensagens que encontro na sua página de facebook. Portanto, tinha imensa curiosidade em relação ao Às 9 no meu livro. E foi com uma enorme satisfação - e com um aconchego bem caloroso no lado esquerdo do peito - que, ao folhear cada página, percebi que tudo é poesia, a começar pelo próprio visual da obra. A descrição é encantadora e a sua estrutura bastante delicada. E tudo flui com naturalidade, envolvendo-nos do início ao fim da leitura.

A assertividade dos textos é, honestamente, uma lufada de ar fresco, porque nos transmite paz, luz, esperança, amor. Recheado de coisas simples, detalhes, preciosismos, é um livro que parte daquilo que, aparentemente, tem um cunho banal, mas cujo significado continua a ser de extrema importância. Se há espaço para clichés? Certamente. Todavia, é crucial compreender que estes lugares-comuns são, igualmente, necessários, porque nos permitem manter focados naquilo que é evidente e que, por vezes, tendemos a esquecer - é que o óbvio também precisa de ser dito, precisamente para colmatarmos essa depreciação. Em jeito de complemento, os desenhos minimalistas e lindíssimos, feitos a grafite, pelos autores do We blog you conferem um traço ainda mais amoroso às palavras.

Um aspeto que me agradou, particularmente, foi constatar um excelente equilíbrio entre o lado pessoal e os pensamentos/as conclusões a que se chega através da experiência. Focando-se na gratidão, nas pessoas de luz, na fé, na resiliência, nas voltas e reviravoltas, na força, na felicidade, no silêncio, Às 9 no meu livro reflete o melhor da positividade, mesmo quando os dias nos pesam. Porque há sempre um barco para nos levar a bom porto. Só precisamos de agir ou, então, de sermos pacientes. Além disso, mostra-nos que as palavras podem ser terapêuticas e [re]lembra-nos para manter a mente e o coração abertos. É, sem qualquer dúvida, uma obra repleta de conselhos sábios, com uma ótima energia, que podemos - e devemos - revisitar inúmeras vezes.

Foi dos livros mais tranquilos e inspiradores que tive o privilégio de descobrir. E finalizei-o convicta de que nos motiva a seguir em frente, ao mesmo tempo que nos convida a abrandar e a desligar o complicómetro. Cada mensagem deve ser saboreada com carinho, porque o seu significado é carregado de encanto.


Deixo-vos, agora, com algumas citações:

«Não será a partir do fundo (de ti) que encontras uma nova forma de olhar para a superfície?» [p:25];

«Com tempo, no tempo certo.
Para mim, a sorte grande não é ganhar na lotaria ou conjugar o verbo ter.
Para mim, a sorte grande está no tempo dos abraços certos que me seguram, no tempo dos lugares bonitos que me levam, no tempo dos sorrisos felizes que iluminam os meus dias, no tempo das vozes doces que me chamam de amor-sem-fim e na conjugação certa, ainda que muito imperfeita, do verbo ser» [p:52];

«O mais difícil não foi olhar à minha volta e ser confrontada com a verdade dos outros. O mais difícil foi olhar para dentro de mim e ver a minha verdade» [p:93];

«Primeiro acredita, porque é assim que tudo começa. Depois descomplica, porque é assim que tudo avança. A seguir confia, porque é assim que respiras fundo» [p:113];

«No fundo, tudo se resume ao Amor com A grande:
- O amor-próprio, o melhor e maior fermento para a auto-estima, para a confiança, para a luz invencível que cada um de nós tem.
- O amor dos que nos amam - aquele que sentimos como um porto seguro nos momentos em que a vida nos arrasta numa tempestade. Aquele que nos ensina que, muitas vezes, é de onde está mais escuro que se vê melhor as estrelas» [p:172]



Nota: As gavetas da minha casa encantada tornaram-se afiliadas da Wook. Por isso, ao comprarem através dos links disponibilizados, estão a contribuir para os meus hábitos de leitura e, consequentemente, para o crescimento do blogue. Obrigada ❣

19 comentários

  1. Desconhecia por completo levo a sugestão para uma futura leitura.
    Um abraço e continuação de boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
  2. Já tinha ouvido falar no livro, agora com esta opinião acrescento a lista dos livros para ler :)

    ResponderEliminar
  3. Gosto de histórias simples que inspiram :) volta e meia gosto de partilhar os posts do As 9 :)
    Bjinhosss
    https://matildeferreira.co.uk

    ResponderEliminar
  4. Bom dia. Maus uma publicação bastante interessante. Desconhecia o livro. Fiquei curiosa:))

    Sussuros... à maresia...

    Bjos
    Votos de uma óptima Quinta-Feira

    ResponderEliminar
  5. Nunca tinha ouvido falar do livro. Vou tomar nota.

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  6. Não conhecia, mas pelos excertos pareceu-me uma boa sugestão.
    Amiga Andreia, continuação de boa semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  7. Olha que sigo algumas pessoas que falam de livros, mas esse nunca tinha ouvido falar mesmo, mas adorei conhecer um pouco mais
    Beijinhos
    Novo post // CantinhoDaSofia /Facebook /Intagram
    Tem post novos todos os dias

    ResponderEliminar
  8. Que indicação bonita Andreia. Não conhecia a autora e fiquei encantada com os trechos que você separou. Um beijo grande :*

    ResponderEliminar
  9. Um livro inspirador que já tive o gosto de ler! Adorei a obra! :D

    amarcadamarta.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  10. Acompanho o blogue pelo facebook e gosto da originalidade e simplicidade. Já tinha ouvido falar do livro e fiquei ainda mais curiosa para o ler.

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  11. Boa noite
    não conhecia, obrigada apela sugestão
    tudo do melhor para voce!
    abraço
    Maria Alice
    https://www.mariaalicecerqueira.com.br/

    ResponderEliminar
  12. Quero muito ler, tenho ouvido maravilhas!

    ResponderEliminar
  13. Parece interessante linda, tu trazes sempre boas sujestoes;)
    Beijinho

    ResponderEliminar
  14. A Revlon tem produtos incríveis! Só queria que fossem itens mais baratos pra eu poder comprar com uma frequência maior! hahaha! ;)

    Adoro esse estilo de leitura que é sucinto, porém completo e cheio de significados. Gostaria de ler esse livro, pois ando apreciando bastante esses temas mais positivos!

    Ótima quinta!

    Beijo! ^^

    ResponderEliminar
  15. Ainda não tive a oportunidade de ler o livro, mas pelo que li aqui o livro é maravilhoso, fiquei bem curiosa Andreia bjs.

    ResponderEliminar
  16. ;D

    Tô precisando de uma leitura dessas. Vou ver se consigo ler qualquer dia desses!

    Ótima sexta!

    Beijo! ^^

    ResponderEliminar
  17. Despertou a minha curiosidade a tua opinião sobre este livro.

    ResponderEliminar
  18. Eu também gosto de livros com textos soltos e acredito que este seja mesmo muito muito interessante. Sigo o blogue da Sofia e as suas páginas e, gosto imenso de ler as palavras leves, simples, mas tão certas que ela escreve.
    São mensagens dotadas de uma simplicidade inegável, mas com mensagens poderosas :)

    ResponderEliminar
  19. Vejo os textos no Facebook mas por acaso nunca tinha procurado o livro. Mas com os excertos que aqui partilhaste fiquei curiosa.

    ResponderEliminar