As 7 releituras que pretendo fazer

Fotografia da minha autoria


«De que me serve reler?», Fernando Pessoa



A pertinência de efetuar releituras pode provocar alguma controvérsia e dividir opiniões. Porque, no meio de tanta oferta literária, parece um desperdício revisitar histórias que já conhecemos, quando poderíamos estar a descobrir novas. Pessoalmente, sinto que depende bastante da finalidade, do momento e da própria necessidade e/ou vontade individual. Se voltar àquele livro nos acrescenta, porque não? Inclusivamente, pode surtir um efeito muito mais benéfico do que escolher um que seja uma total novidade. Precisamos é de aprender a ouvir a voz que vem de dentro. E de abraçar a experiência que se revele mais enriquecedora para a nossa formação enquanto leitores.

Confesso, ainda assim, que não é uma das minhas práticas mais recorrentes, pois - consciente ou inconscientemente - priorizo novas obras. Apesar disso, reconheço o quanto é vantajoso reler, porque a nossa predisposição temporal e emocional nunca é igual e, mais importante, apreendemos sempre algo que não fomos capazes de compreender na altura. A nossa perceção sobre o mundo, em geral, e acerca de determinadas temáticas, em particular, muda com ligeira frequência e isso influência a interpretação da mensagem. Todos os anos, a título de exemplo, tenho encontro marcado com O Principezinho [Antoine de Saint-Exupéry]: o conteúdo não sofreu qualquer alteração, mas possibilita-me sensações inéditas; há detalhes que se tornam muito mais evidentes e, consequentemente, sinto-me um passo mais perto de desconstruir o verdadeiro significado que os sustenta. Porém, isso só é possível porque assumi este compromisso, mas tenho plena consciência que tal não acontecerá com todos os livros, da mesma maneira que não nos sentiremos impelidos a voltar a todos aqueles que já lemos. E, em parte, é saudável que assim seja, caso contrário, ficaríamos, eternamente, presos às mesmas realidades.

O segredo, para mim, é encontrar um bom ponto de equilíbrio e satisfazer o que nos faz mais sentido, sem nos deixarmos demover por convicções externas às nossas. Porque na leitura - e não só - temos que ser nós a marcar o nosso ritmo e a construir a nossa estrada. Portanto, acredito que nem sempre basta ler uma vez para absorver toda a essência da narrativa e que somos capazes de adquirir perspetivas distintas se a repetirmos. No entanto, considero relevante dar tempo para que a informação assente; dar tempo para que a nossa maturidade se consolide. Apesar de ter ficado apaixonada por vários livros, permito-me progredir para outras opções literárias, socorrendo-me das histórias por onde já viajei quando entendo que, naquele momento, é a melhor escolha que posso fazer - ou porque quero clarificar alguns pontos ou porque preciso do conforto que só os contextos e as personagens familiares são capazes de transmitir. Por motivos singulares, tenho, então, sete releituras que pretendo fazer.


O Modelo [Lars Saabye Christensen]: A sinopse deixou-me bastante intrigada e achei a premissa promissora. No entanto, como referi no Entrelinhas #33, esta história está longe de ser das minhas favoritas. Houve partes cativantes, mas não me relacionei por completo. Admito, no entanto, que a altura em que a li possa ter influenciado negativamente. Por essa razão, quero dar-lhe outra oportunidade, para perceber se a opinião se mantém ou se, afinal, a minha concentração é que não me permitiu desfrutar de todo o seu potencial.

A Anatomia do Segredo [Leslie Silbert]: Comprei este livro para oferecer a um amigo e acabei por trazer um exemplar para mim, porque promete uma forte componente de espionagem e porque se sucede em duas épocas e dois locais distintos: Inglaterra, em 1593; Nova Iorque, na atualidade. Recordo-me que fiquei fascinada com a forma como a autora conseguiu interligar o passado e o presente, criando proximidade com ambos, por isso, terminei a obra num ápice. Contudo, como já não tenho o enredo bem presente, quero revisitá-la.

Trilogia Millennium - Os Homens que Odeiam as Mulheres | A Rapariga que Sonhava com uma Lata de Gasolina e um Fósforo | A Rainha no Palácio das Correntes de Ar [Stieg Larsson]: Na minha biblioteca pessoal não figuram muitas trilogias ou sagas. Apesar disso, Millennium foi das melhores que já li, pertencendo mesmo à lista dos meus sete clássicos da literatura. O que, por si só, já seria motivo suficiente para uma releitura, porém, pretendo fazê-la por outra razão: recentemente, adquiri o quarto volume da saga - A Rapariga Apanhada na Teia de Aranha - mas, como foi escrita por outro autor, não só quero recordar todos os detalhes da história de Lisbeth e Blomkvist, como também quero perceber se a qualidade, o mistério e o enredo viciante se mantêm. Sendo assim, acho pertinente regressar aos livros escritos por Larsson e só depois avançar para a obra de David Lagercrantz [pode ser que, durante esse período, o quinto volume seja lançado em edição de bolso].

A Vida Num Sopro [José Rodrigues dos Santos]: No 12º ano, para História, tive que realizar um trabalho baseado num livro. Dentro das opções, a minha escolha recaiu no jornalista, mas tinha outro título em mente - A Filha do Capitão. Como estava esgotado, troquei para este. E não me arrependi, porque gostei imenso da leitura. Porém, atendendo a que ficou mais condicionada a uma visão académica, quero reler de um ponto de vista de lazer.

Uma Viagem à Índia [Gonçalo M. Tavares]: Agradou-me o texto epopeico, o cariz reflexivo e a viagem que se faz por terra e pelo coração. Mas sinto que o li numa altura em que não tinha maturidade suficiente para compreender a profundidade da sua mensagem. E a obra - e o próprio discurso narrativo do autor - merece esse cuidado.

Mudanças [Mo Yan]: É escrito na primeira pessoa, realçando as alterações políticas e sociais do país do escritor. À semelhança do que aconteceu com Uma Viagem à Índia, sinto que não o li no momento mais propício. Mas tenho imensa vontade de redescobrir este «romance disfarçado de autobiografia».

Encontro na Provença [Elizabeth Adler]: Este livro causa-me uma certa angustia sempre que o observo. Porque sei que foi uma história que me agradou, mas o enredo já me parece demasiado distante, ao ponto de me ser difícil recordar os seus contornos. Por isso, tenho alguma urgência em colmatar esta sensação de vazio. E acredito que voltarei a encantar-me pela história, permitindo que, desta vez, se fixe bem nas minhas lembranças.



Nota: O blogue tornou-se afiliado da Wook. Por isso, ao comprarem através dos links disponibilizados, estão a contribuir para o seu crescimento e, consequentemente, para fomentar os meus hábitos de leitura. Obrigada ❣



Quais são as releituras que pretendem fazer?

31 comentários

  1. Obrigado, meu doce!

    Não conhecia nenhum, mas é sempre bom relermos um ou outro livro que nos tenha marcado. É como já falámos há algum tempo... Há livros que lemos com menos idade e que, às tantas, se fossem lidos hoje, teriam uma interpretação totalmente diferente :P
    Talvez gostasse de voltar a ler "O Segredo". Li-o muito novo e, agora, certamente faria mais sentido!

    NEW REVIEW POST | THE AFTER SUN THAT LEAVES YOUR SKIN PROTECTED. :O
    InstagramFacebook Official PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  2. Nao, nao me deitei ao Reno. A água continua fria.
    Regressei agora a casa.

    Só li a Trilogia Millennium | Os Homens que Odeiam as Mulheres | A Rapariga que Sonhava com uma Lata de Gasolina e um Fósforo | A Rainha no Palácio das Correntes de Ar [Stieg Larsson].

    Talvez gostasse de voltar a ler "Reflexos nuns olhos de oiro" de Carson McCullers, com o prefácio de Tenessee Williams.

    "O FIM da AVENTURA" de Graham Greene com prefácio e tradução de Jorge de Sena.

    Mas há ainda tantos livros que nunca li e que continuam na estante à minha espera.

    ResponderEliminar
  3. Um dos livros que quero voltar a ler é o Dom Quixote de la Mancha.
    Um abraço e continuação de boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
  4. Gostaria de reler o livro "Julieta" de Anne Fortier. É o melhor livro que li até hoje. Um livro baseado numa pesquisa histórica sobre o verdadeiro Romeu e Julieta que inspiraram William Shakespeare. Lindo, fantástico.
    Beijinho ;)

    ResponderEliminar
  5. O Principezinho é aquele livro que vale sempre ler para nos inspirarmos :) tens aqui umabela coleção e fiquei interessada nela :)
    Quero muito voltar a ler os Fikhos da Droga de Christian F.
    Bjinhosss
    https://matildeferreira.co.uk/

    ResponderEliminar
  6. Acho que há livros que merecem mesmo uma segunda leitura. Por exemplo, há dois que eu gostava muito de reler, pois já se passaram alguns anos e falham-me certos pontos da história, além disso tenho curiosidade em perceber que sensações me despertará agora que tenho uma visão mais madura da vida :)
    Não acho uma perda de tempo, muito pelo contrário. Há livros que merecem mesmo essa oportunidade!

    A trilogia deixou-me muito curiosa e já a tinha apontado pela lista, provavelmente porque falaste dela por cá :p

    ResponderEliminar
  7. R: É uma série relativamente pequena. Não é das melhores de sempre, mas cativa-te. Afinal não é todos os dias que vemos um Grey psicopata ahah e mais não digo :p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. * Além disso, se resolveres ver, tenho a certeza que te vais rir imenso com as coincidências nas histórias. Consegui ver o Grey tantaaaas vezes!

      Eliminar
  8. Andreia ótimos os livros desejo uma boa leitura para você, é bastante gratificante reler bons livros, bjs.

    ResponderEliminar
  9. a trilogia millennium já li 2 vezes
    comprei o outro mas não tive coragem de começar...

    ResponderEliminar
  10. Revisitar é como em tudo na vida... Se experimentamos um restaurante e gostamos, provavelmente vamos lá voltar... se vemos um filme e gostamos, também não é mau voltar a vê-lo, portanto se lemos um livro e gostamos, porque não voltar a lê-lo? Eu já reli vários livros e como acontece em filmes ou em séries, há sempre coisas novas que vou apanhando :)

    ResponderEliminar
  11. Olá Andreia
    Gostei dos livros, acho importante reler livros que nos tocam. Terminei de ler 12 dias para atualizar sua vida de Tiago Brunet e amei, já estou com vontade de reler kkkkk, abraços.

    ResponderEliminar
  12. Posso dizer que não conhecia os que falas-te, pois cá em casa que mais tem o habito de ler é o meu mano
    Beijinhos
    Novo post // CantinhoDaSofia /Facebook /Intagram
    Tem post novos todos os dias

    ResponderEliminar
  13. "O Mundo de Sofia" de Jostein Gaarder recomendado por um professor de Filosofia por quem tive um fraquinho no 10º ano. Fui a única a ler o livro apenas porque gostava do professor, não gostei do livro, não tinha idade para o entender.

    O perfume, também lido na idade errada.

    Os primeiros dois livros do Daniel Oliveira. E para já são esses.

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  14. Priorizar novas obras é natural, mesmo para mim, que estou sempre a reler livros, na falta de algo novo para ler.
    A triologia Millenium já está há séculos na minha lista, nem imaginas xD. Mas ultimamente não ando nada virada para triologias ou séries de livros. Talvez daqui a uns tempos :).
    Eu também me tornei afiliada da Wook, mas ainda não percebo como é que aquilo funciona. Eles dão-nos o link geral, e nós a partir desse pesquisamos os livros que queremos para por o link no post? Ou estou a fazer confusão? xD.
    Beijinhos
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  15. Sendo a oferta superior à procura,
    não sei qual dos livros irei ler
    a seguir, a uma divertida aventura
    outras aventuras poderão acontecer?

    Tenha uma boa tarde Andreia.

    ResponderEliminar

  16. Há livros que valem a pena ser relidos, na verdade.
    Amiga Andreia, continuação de boa semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  17. Já li alguns livros do José Rodrigues dos Santos e na altura gostei muito, principalmento do livro "A Fórmula de Deus".
    Como disse no último post do meu blog quero muito reler a trilogia Milennium, até porque a li por volta dos 15 anos e foram os livros que despertaram o meu bichinho pela leitura. Também sei que vários autores se juntaram e escreveram a continuação da saga, mas dizem que não tem nada haver. Não sei se é verdade ou não...
    Acho que reler é uma coisa boa, até porque dependendo das circunstâncias da vida vamos dando diferentes significados a uma mesma história (:

    http://arrblogs.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  18. Releituras maravilhosas!
    Um naipe de livros desta natureza e qualidade, merecem realmente, estar na cabeceira de todos nós.
    Faça isso Andreia!
    Um abração carioca.

    ResponderEliminar
  19. ;)

    Eu gosto de reler. Principalmente os livros que me marcaram de alguma maneira! Desses títulos que citou eu ainda não li nenhum.

    Ótima quinta!

    Beijo! ^^

    ResponderEliminar
  20. Eu também tenho um livro que releio sempre ~ e a cada vez encontro novos significados: A insustentável leveza do ser. <3

    Eu morro de vontade de ler essa trilogia do Stieg Larsson, quero muito colocar na minha listinha de leitura. Um beijo :*

    ResponderEliminar
  21. Achei engraço falares de releituras, acreditas que eu não consigo ler um livro que já tenha lido?

    Bjxxx
    Ontem é só Memória | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  22. Não li nenhum dos que mencionaste e confesso que não sou muito de voltar a ler o mesmo livro, já com os filmes sou capaz de ver o mesmo filme mas que uma vez :)
    Beijinhos linda.

    ResponderEliminar
  23. Não li nenhum, mas vou tratar de atualizar-me que bem preciso mas costumo ligar-me mais à política,história e cultura geral aiaiai ando a tentar aproximar-me dos romances.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  24. adorei seus itens de decoração! e claro, conferir esses livros que vc quer reler, eu tbm estou precisando separar alguns para releitura por aqui

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderEliminar
  25. Gosto tanto dessa caneca e desse relógio ;) Os livros que me deixaram curiosa foram: Mudanças e a Vida num Sopro

    http://retromaggie.blogspot.com

    ResponderEliminar
  26. É verdade! hehehe! ;)

    Ótima quinta!

    Beijo! ^^

    ResponderEliminar
  27. Reler, também faço poucas vezes, mas se for relido passado algum tempo a história agarra na mesma.
    Tenho a triologia Millennium, mas ainda só li o 1º, e sim gosto, quando já não tiver livros emprestados para ler, irei começar o 2º.
    Gosto dos acessórios :)

    ResponderEliminar
  28. Não li nenhum desses que pretendes reler (exceptuando "O Principezinho" que acho que deve ter um impacto completamente diferente em diversas idades, tal como referes...). Mas tenciono conhecer alguns deles :)

    ResponderEliminar
  29. Não há mal nenhum em re-ler e re-visitar mundos, de todo!

    ResponderEliminar