À Boleia do Mundo #27

Fotografia da minha autoria


Capítulo 27
Domingo, 15.07.2018



08h20: A melodia do despertador começou a invadir o quarto. Levantei-me mais cedo para fazer um penteado com trança, mas como percebi que me faltavam elásticos de borracha tive que improvisar outro. Entretanto, fui arranjar-me para mais uma mini aventura.

10h00: Que comece a viagem!

[Gaia-Porto-Maia-Aldeia Nova-Castêlo da Maia-Areosa-Ribela-Freguesia do Muro-Carriça-Quintão-Serra-Lantemil-Trofa Velha-Trofa Nova-Ribeirão-Vale do Vilarinho-Requião]

Passamos por uma placa a indicar o caminho para a Casa de Camilo Castelo Branco. Naturalmente, e ainda para mais agora que fiz as pazes com a sua obra, fiquei cheia de vontade de a visitar.

11h14: Pausa para café.

11h22: De volta à estrada.

[Carides-Pousada de Saramagos-Joane-Vermil-Ronfe-Brito-Guimarães]

11h48: Chegamos! É ótimo estar de volta a um dos lugares que me faz sempre sentir em casa.

Já não vinha a Guimarães há uns bons anos e as saudades eram imensas. Apesar de ser um regresso breve, permitiu-me recordar determinados pontos e redescobrir trilhos e monumentos que tinha esquecido. Ainda no carro, fiquei encantada com o pouco que vi da Plataforma das Artes e da Criatividade. Depois de estacionarmos, foi tempo de palmilhar alguns recantos desta cidade tão bonita e cheia de história.

O primeiro edifício a captar a minha atenção, pela sua fachada poderosa, foi o da Sociedade Martins Sarmento, que é uma instituição cultural de «utilidade pública e sem fins lucrativos». Salvo erro, está dividida em três grandes áreas: Museu, Biblioteca e Arquivo Documental. Desta vez, não entramos, mas ficou sinalizada como paragem obrigatória para uma próxima oportunidade. Em frente, até porque o [nosso] caminho [e a nossa vida] não admite outro sentido, chegamos ao Largo do Toural, que é considerado o coração da cidade. Nesta praça ampla e tão agradável, perdi-me a observar o céu e algumas clarabóias. E é mesmo interessante o contraste entre o moderno e o rústico, que combinam na perfeição, mostrando-nos esta passagem do tempo, que não esquece o passado, privilegia o presente e anseia o futuro. Além disso, numa das laterais, podemos ver e visitar a Igreja de S. Pedro que, embora esteja incompleta, recebeu «o título de basílica».

Seguindo pela nossa esquerda, fomos ter a uma das ruas mais nobres da cidade, onde se encontra localizada a Casa dos Lobo Machado, cuja fronte caiada de branco não passa despercebida. Atualmente, está ocupada pela Associação Comercial e Industrial de Guimarães. Sou mesmo feliz a observar cada detalhe, por isso, demoro tanto tempo a transitar para outro ponto de interesse. Mas a visita prossegue sem pressas. E rendo-me ao Largo da Oliveira, onde se encontra a Igreja da Nossa Senhora da Oliveira [que evidencia elementos de diversas épocas, tornando a sua arquitetura plural e ainda mais interessante. Como estava a decorrer uma missa, não pude ver o interior ao pormenor, mas é lindíssimo], o Padrão do Salado [um alpendre gótico] e os antigos Paços do Concelho. Aqui, optamos por não seguir em frente, mas descer. O que nos levou a avistar a Igreja de Nossa Senhora da Consolação e Santos Passos. A vista é fabulosa! Algumas fotografias depois, fomos em direção ao Jardim Público da Alameda, onde me perdi de amores por mais um coreto.

13h24: Está na hora de irmos almoçar.

15h30: Retomamos o passeio.

Iniciamos a exploração da tarde pelo Largo dos Laranjais, no qual encontramos a Casa com o mesmo nome e um monumento dedicado a Alberto Sampaio. E, deixando-nos levar, chegamos à Praça de Santiago [contígua ao Largo da Oliveira], que ainda preserva traços medievais. O espaço é bastante aconchegante e sinto que à noite também deve convidar a ficar. Com muita emoção à mistura, paramos a ver um pouquinho da final do Mundial. 

Após uma breve pausa, prosseguimos e entramos na Rua de Santa Maria [uma das primeiras a serem abertas na cidade, como fiquei, posteriormente, a saber]. Na sua extensão, encontramos «o Convento de Santa Clara, a Casa do Arco, a Casa dos Peixotos e a Casa Gótica dos Valadares». Há sempre paragens que pretendemos fazer, no entanto, é raro planear estas visitas. No fundo, vamos descobrindo de uma forma mais livre, sem seguirmos rotas prévias. Apesar disso, não poderíamos deixar de subir até ao Parque que abrange o Castelo e os Paços dos Duques de Bragança. Pelo caminho, é possível contemplar o Jardim do Carmo e a Igreja e o Convento de Nossa Senhora do Carmo [obra «dedicada a Santa Isabel». Hoje, encontra-se na posse do Estado e, uma vez que cessaram, oficialmente, as ordens religiosas, o edifício acolheu o Lar de Santa Estefânia].

Já no topo, e atendendo que havia muitos grupos de turistas numa excursão pelo Castelo e pelos Paços, reservamos uma visita ao interior para outra altura. Limitamo-nos, portanto, a percorrer todo o espaço que os circunda, permitindo-nos observar, ao longe, a Igreja de S. Dâmaso. Na descida, aproveitamos para entrar na Igreja de S. Miguel do Castelo, cujo pavimento interior «está lajeado com sepulturas que se atribuem a nobres guerreiros ligados à fundação da nacionalidade». Classificada como «Monumento Nacional», serviu de «capela real e igreja paroquial». E marcou o fim do nosso passeio.

17h15: Despedimo-nos com a certeza de que ainda ficou muito por descobrir. Porém, voltaremos. E espero que num futuro bastante próximo.

18h50: Lar, doce lar.

27 comentários

  1. Olá
    Eu fui a Guimarães teria uns 15 anos, acredito que esteja muito diferente, penso e pela tua descrição haver muitos pontos de interesse a visitar, muito especialmente depois de ter sido recentemente capital europeia da cultura. Bom passeio sem dúvida!!
    xoxo

    marisasclosetblog.com

    ResponderEliminar
  2. Que maravilha de passeio:)
    O nosso país é lindo assim com aqui a ilha :)
    Bjinhosss e boa semana minha querida*
    https://matildeferreira.co.uk/

    ResponderEliminar
  3. Adoro conhecer Portugal, tem tantos sitios giros :)

    http://voltaemeiaa.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  4. Que ótima viagem! Adoro dias assim!
    Beijinho, Ana Rita*
    BLOG: https://hannamargherita.blogspot.com/ || INSTAGRAM: https://www.instagram.com/rititipi/ || FACEBOOK: https://www.facebook.com/margheritablog/

    ResponderEliminar
  5. Até me senti a viajar um pouquinho por aqui!

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  6. Já há muito tempo que não visito Guimarães :) talvez este Verão possa dar um pulinho por lá ;)

    ResponderEliminar
  7. Olá! Sempre que vamos de férias para perto de Fafe, tiramos uma tarde, noite para ir passear por Guimarães. Adoro percorrer essas ruas cheias de histórias por contar.... Guimarães faz parte da minha vida!

    Beijinhos
    Sandra C.
    bluestrass.blogspot.com

    ResponderEliminar
  8. Imagino que foi um belo passeio:))
    Bjos
    Votos de uma óptima Segunda-Feira

    ResponderEliminar
  9. É sempre bom passear, então Portugal é lindo :)
    E por mais que vamos visitar algum sítio o tempo não chega para conhecer tudo de uma vez, há tanta coisa para visitar :)

    ResponderEliminar
  10. socorrooo! onde é a fotografia do post? qui lindooo!

    r: owww, obrigada! <3

    ResponderEliminar
  11. Nem sei como, mas nunca visitei Guimarães coração. Como sempre, consegues sempre levar-me contigo. És incrível com as palavras!

    THE PINK ELEPHANT SHOE | Dicas para crescer no Instagram!

    ResponderEliminar
  12. A última vez que fui a Guimarães foi algures no 6º ano, pela escola. Visitamos o Castelo e fomos ao centro comercial, depois disso nunca mais visitei a cidade; apesar de ter estudado em Braga.

    É uma cidade muito bonita. Tenho que mudar isso.

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  13. Hum que esse passeio parece ter sido mesmo bom, pois o nosso país tem lugares bastante bonitos para visitar
    Beijinhos
    Novo post // CantinhoDaSofia /Facebook /Intagram
    Tem post novos todos os dias

    ResponderEliminar
  14. Um itinerário com muitos pontos a visitar e que mostra o quanto rico é o nosso país :) Adorava viajar pelo Norte e visitar especialmente Guimarães.

    Beijinho*

    PS: Ainda bem que fizeste as pazes com o nosso Camilo xD

    ResponderEliminar
  15. Foi um maravilhoso passeio esse lugar é incrível, Portugal é um país sensacional, bjs.

    ResponderEliminar
  16. À Boleia do Mundo é um título muitíssimo original.

    O teu passeio de domingo originou que tivesse saudades de Portugal, que penso visitar em Setembro ou Outubro e, então, vou seguir os teus passos e visitar a Casa de Camilo Catelo Branco, com quem nunca me zanguei, embora não seja o meu escritor de eleição.

    Saudação da amiga de longe.

    ResponderEliminar
  17. Gostei do post! Por acaso, de Guimarães só andei pelo centro e fui obviamente ao Paço dos Duques de Bragança e ao castelo, mas com certeza existe muito mais para ver :)

    https://mundodablue.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  18. Já não vou a Guimarães a muito muito tempo mas é uma cidade que me diz muito e que certamente vou voltar em breve, desta vez com um "guia" eheheh

    ResponderEliminar
  19. Não conheço Guimarães, às vezes vou revisitar outras cidades e aldeias ,outras paragens e até gosto, mas sabes que gosto mais? Do regresso a casa :)
    Mas faz bem sim, sair espairecer .
    Beijinhos linda.

    ResponderEliminar
  20. r: Essa transição que falas vai ser o meu próximo passo, vou ter saudades!
    Muito obrigada querida :)

    ResponderEliminar
  21. Aquele produtinho é mara, viu?! ;D

    Não tinha pensado por esse lado. É meio que "fechamos um ciclo para abrir outro renovado"!

    Um passeio incrível! Com lugares cheios de histórias, né?! Adorei.

    Ótima segunda!

    Beijo! ^^

    ResponderEliminar
  22. E que belo passeio!!! Não conheço mas é um ponto de interesse! :)

    ResponderEliminar
  23. Vou a Guimarães com alguma regularidade, por isso, foi ótimo viajar contigo e reparar que conheço alguns dos pontos que enumeras. É realmente uma cidade agradável e bonita, gosto muito de ir ao Largo do Toural e tomo algumas vezes café por lá :p

    ResponderEliminar