1+3 | Uma Regra

by - junho 29, 2018

Fotografia pessoal


«Eu vivo seguindo minhas regras»



O que seria do mundo se lhe faltassem regras? Coincidência - ou não - do destino, cruzei-me com um pensamento idêntico após ler o terceiro tema do desafio. E estas palavras tiveram impacto em mim, porque considero que estas normas conseguem ser linhas orientadoras para uma convivência saudável entre pares. No entanto, automaticamente, fui confrontada por uma ideia contraditória: as regras existem para serem quebradas. Não todas, reconheço, mas é igualmente importante ultrapassarmos a divisória que separa a nossa racionalidade - e autocontrolo - e o nosso desejo de arriscar. Talvez uma regra útil seja encontrar um bom ponto de equilíbrio, que nos transmita [quase] sempre a sensação de não perdermos o pé. Das circunstâncias. E da vida.

Consciente ou inconscientemente, sei que fui estabelecendo princípios moderadores, que não só apelam à minha relação com os outros, como também me permitem desenvolver um lugar neutro, isolado, onde posso estar só comigo. No fundo, criei um mecanismo interno, que me conecta aos meus quando o meu coração me pede e/ou quando necessitam de mim e que me desliga do mundo, no exato momento em que sinto que apenas preciso de ficar ligada à minha bolha de energia, alimentada por tudo o que me faz bem à alma, numa componente mais material. Nesse sentido, tenho regras do foro pessoal - descomplicar, baixar expectativas, dormir com a televisão ligada, praticar o desapego, não mexer no telemóvel ao acordar e pôr o cinto mal entro no carro - e regras ao nível relacional - não dormir sem dar um beijo de boa noite aos meus pais, não utilizar o telemóvel quando estou com a família e com os amigos e nunca deixar de cumprimentar e agradecer. Transversal a ambas, coloco sempre o telemóvel em silêncio quando chego a casa e limito o meu acesso às redes sociais, para aproveitar a companhia dos meus pais e dos meus patudos e para ser mais produtiva. Acontecimentos recentes gritam para aprender a medir o que dou de mim aos outros, mas um passo de cada vez.

Pessoalmente, acho que as regras têm um segredo: escondem uma espécie de fundo falso, que nos relembra sempre que a sua inflexibilidade e a sua intransigência podem provocar mais malefícios que benefícios. Portanto, olho para elas como hábitos saudáveis, que nos acrescentam e que nos proporcionam felicidade e bem-estar, pois parece-me a maneira mais vantajosa para desfrutarmos delas em pleno. Sem, ironicamente, procurarmos quebrá-las e, pior, sabotá-las. Por essa razão, optei por partilhar a minha regra mais diferenciadora.


Usar sempre a camisola do Porto em dia de jogo



Se dependesse unicamente da minha vontade, não só iria sempre ao Dragão, como também acompanharia a equipa nos jogos fora. Uma vez que tal não é possível - e que nem sempre consigo ver na televisão -, arranjei uma estratégia para estar um pouco mais perto. E para apoiar o meu clube, ainda que à distância, com mais entusiasmo. Sei que não precisava de uma demonstração física para isso, porque o meu espírito de 12º jogador está bem vincado no sangue. Ainda assim, faço-o por amor. E por me transmitir um maior aconchego. Ser portista é uma grande parte de mim. E tenho todo o orgulho nisso - e, modéstia à parte, fico muito bem de azul e branco. E só tenho motivos para querer exibir o nosso símbolo, que assenta na perfeição sobre o lado esquerdo do peito.

Naturalmente, isso não invalida o facto de poder usar a camisola em qualquer outra altura. Inclusivamente, levo-a comigo de férias e não fica guardada na mala. Porém, em dia de jogo, não é discutível - não tenho outra indumentária que não esta. Apenas vou intercalando a minha escolha: ou uso a que o meu grupo de amigos me ofereceu ou uso a que os meus pais me deram de prenda de Natal, há uns anos, personalizada com "Quaresma 7". Quando tenho oportunidade de ir ao estádio, equipo-me a rigor. Porque não ter a mesma postura sempre? O evento competitivo não muda só porque o local onde o vejo é diferente. Portanto, passei a usá-la em todos os dias de jogo. E não o faço somente quando é a equipa de futebol que entra em campo, as modalidades não são esquecidas, até porque sou Porto por inteiro.

Acredito que a nossa energia faz a diferença. E, enquanto adepta, a minha função é defender a partir das bancadas - sejam elas quais forem. Por isso, não falho a minha missão - é, também, esta a magia do desporto. Já me perguntaram qual é a lógica de vestir a camisola, se fico em casa. E eu respondo sempre da mesma maneira: porque me faz sentido. E me faz sentir. É dos rituais - e regras - mais bonitos que tenho. E não o troco por nada!



[Publicação inserida no desafio 1+3]

You May Also Like

28 comentários

  1. E fica muito bem a minha amiga com esse emblema abençoado bem junto ao coração.
    Um abraço e bom fim-de-semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
  2. " A minha liberdade acaba quando a do outro começa ", para mim só faz sentido assim!!!

    Também acredito muito nas energias, move muita coisa!!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Pois para vivermos em sociedade há que haver regras, mas os nossos políticos estão constantemente a violá-las e nós assobiamos para o lado como senão fosse nada connosco, deveríamos ser tão exigentes com eles como somos com o futebol, fala quem já foi duramente penalizada para não dizer roubada por eles.
    Acho que os portugueses se acomodam demais às regras e deveriam ser mais reivindicativos. Mas essas são as tuas regras se te sentes bem com elas tudo bem. Também acho que as famílias vivem sem regras em relação ao uso das redes sociais.
    Xoxo

    marisasclosetblog.com

    ResponderEliminar
  4. Bom dia. Muito bom o texto. Quanto à camisola, cada pessoa ama o seu clube. :)) Parabéns

    Grandeza da lua, e do amor

    Bjos
    Votos de óptima Sexta - Feira.

    ResponderEliminar
  5. Realmente eu já não me vejo sem regras talvez por ter sido assim educada e o meu filho vai pelo mesmo caminho Hehe :) do nos fazem bem como seres humanos :)
    O meu post deste desafio sai no domingo ;)
    Somos Porto carago :D
    Bjinhosss
    https://matildeferreira.co.uk/

    ResponderEliminar
  6. Trago os brincos com a bandeira alemã, mas na última quinta-feira, não valeu de nada. Estou absolutamente destroçada.

    ResponderEliminar
  7. Para a maioria das pessoas as regras estão em desuso. Qual regras qual carapuça. Não olham a meios querem é ter tudo de tudo.
    Fica-lhe bem essa cor e esse emblema no peito. Viva o Porto!
    Tenha um bom dia Andreia.

    ResponderEliminar
  8. Isso é que é amor à camisola e ao clube :)
    Sou Portista, mas já liguei mais ao futebol, agora não ligo muito. Quando é campeão festejo ahahah
    Sofro e fico feliz é pelo Portugal. :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Ainda estou a pensar na minha publicação para este tema…
    Sinceramente, não ligo muito a futebol, excepto quando joga a nossa seleção.

    ResponderEliminar
  10. Há regras piores, como a daquele senhor do Boavista que até tem cuecas de xadrês. eheh
    Olha, eu sei que a minha opinião não pode ser levada muito a sério, porque sou um ser antissocial e essas coisas de "torcer" por clubes e agremiações similares, não me dizem nada. Mas a mim tinham que me pagar muito bem para eu sair de casa aos fins de semana (como vejo muita gente fazer) e ir passear para o Centro Comercial com o equipamento do Benfica. Mais depressa me viam na missa. eheheh

    ResponderEliminar
  11. Olha que pode haver bastante regras em certas coisas, mas no que gostamos e o que fazemos não há nada, adorei ver-te como fica a camisola
    Beijinhos
    Novo post (Review Camisola?) // CantinhoDaSofia /Facebook /Intagram
    Tem post novos todos os dias

    ResponderEliminar
  12. Hello,

    Oh, beautiful !

    Sarah, http://www.sarahmodeee.fr/

    ResponderEliminar
  13. Penso que na sociedade em que vivemos seja importante ter regras; mas por vezes também é preciso quebrá-las para nosso próprio equilíbrio. Regermo-nos sempre pela rigidez de regras também nos cansa e desiquilibra.

    Beijinhos :*

    ResponderEliminar
  14. Nós gostamos muito de celebrar. Principalmente eu (Telma). Por isso mesmo quando joga a selecção vamos celebrar a rigor. Pintamos a cara, colocamos o cachecol e largamos a bandeira. No último jogo até tivemos direito a uma fila para pintar a cara com as nossas tintas ahahah
    As regras devem fazer-nos viver e não limitar a sobrevivência, seguindo as linhas do texto. Tu sabes isso!

    ResponderEliminar
  15. Estás tão linda com a camisola do nosso querido FCPorto.

    Não vou assistir ao jogo de amanhã. Vou ao teatro, mas envergando a camisola do Ronaldo, mesmo que não seja muito apropriada. Who cares?

    ResponderEliminar
  16. tds temos nossas regras e tbm superstiçoes, ainda mais quando se trata de jogos, agora nessa copa do mundo cada um tem alguma coisa que prefere fazer tbm

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderEliminar
  17. Para tudo tem de haver regras. Sem elas a vida seria uma rebaldaria.
    Essa camisola e o nosso FCP!! Amo ahahahaha
    Beijinhos linda.

    ResponderEliminar
  18. Gostei de ler-te...A camisola, bem.. Calo-me =))



    Bjinhos

    ResponderEliminar
  19. Exatamente! ;)

    Quanto às regras, acredito no seguinte: se é algo que não vai prejudicar ninguém, tudo bem quebrar! hehehe! Você fica bem mesmo de azul e branco. Acho bonito isso de usar a camiseta do time sempre que tem jogo! Eu, por outro lado, nunca tive camiseta de futebol (nem mesmo a da seleção brasileira).

    Ótima sexta!

    Beijo! ^^

    ResponderEliminar
  20. Concordo plenamente! É preciso ter sensatez! ;)

    Eu não ligo muito pra isso, mas também não acharia ruim de ter uma camiseta oficial da seleção brasileira! hahaha!

    Ótimo sábado!

    Beijo! ^^

    ResponderEliminar
  21. Bom dia, a liberdade de cada um é para ser respeitada, só assim é possível ser livre, não sou adepto das regras nem das rotinas, sim, viva a sua liberdade, faça tudo que lhe faz sentir bem, se não fizer agora, dificilmente vai conseguir fazer no futuro.
    Feliz fim de semana,
    AG

    ResponderEliminar
  22. Isso é, que é, amora à camisola!
    Bom fim de semana.

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  23. Ainda estou a pensar na minha publicação para este tema. Por natureza, tenho o hábito de questionar as regras e, quando acho sensato, contorná-las ( não, não sou rebelde xD, acho que é mais como dizes, seguir aquelas que me parecem racionais e que fazem todo sentido, e quebrar aquelas que são demasiado limitadoras).
    Que regra engraçada :). Isso mostra imenso a paixão que tens pelo teu clube,usar a camisola em dia de jogo é fazer com que estejas lá presente, em espírito :).
    Beijinhos
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  24. Adorei! Embora não seja grande fã de futebol, acho inspiradora a tua dedicação e estou certa que transmites muitas boas energias para o campo :') Além disso, acredito de coração em tudo o que disseste, essas pequenas regras que instituíste para ti- e que são muito próximas das que tenho para mim também - são realmente benéficas para nós e para os que nos rodeiam! :-)

    R: Pelos vistos o Mónaco não foi um destino de particular interesse para nenhum e nós xD

    ResponderEliminar
  25. E é uma excelente regra. Desde que não façamos algo que ponha a sociedade em risco acho que devemos viver consoante aquilo em que acreditamos. Só assim faz sentido.

    ResponderEliminar
  26. Regras precusam-se efectivamente... Por vezes também é bom quebrá-las.
    Gostei de ter ver com a camisola do Porto.Eu não ligo nada a futebol, mas respeito!

    Beijinhos
    Sandra C.
    bluestrass.blogspot.com

    ResponderEliminar
  27. Gostei muito muito de ler a tua publicação e, como sabes, a tua opinião sobre as regras vai muito ao encontro da minha :)
    É necessário que existam regras, mas desde que haja equilíbrio e responsabilidade podemos contornar algumas delas e adaptá-las ou até ignorá-las.

    Em relação à tua regra, acho-a mesmo engraçada e demonstra aquilo que já tinha notado em ti ao ler-te, é que és portista ferrenha :p
    Mas acho que fazes muito bem, como dizes, se te faz sentido e te faz sentir, só tem de ser assim :)

    ResponderEliminar