As gavetas abertas por... Carolina Ferreira

by - abril 09, 2018

Fotografias da sua autoria


Olá a todos 😊

Sou a Carolina do Bem-Me-Quer e a minha paixão passa pelas Letras e pela Psicologia. Sou Finalista de Fisioterapia e pertenço à Tuna da minha faculdade - Tu Na D’ESTES – sem a qual a vida académica não seria certamente a mesma coisa. O meu coração pertence a Coimbra, mas sou uma sonhadora e quero deixar um pedacinho de mim, por mais pequeno que seja, pelo mundo. 

Antes de mais, e já depois de saberem quem sou, quero felicitar a Andreia por esta iniciativa e agradecer do fundo do coração pela oportunidade que nos está a dar a todos! É, para mim, um privilégio poder participar neste desafio! O seu blogue é uma referência para mim e acompanho-a quase desde o início do meu caminho pela Blogosfera. Os seus conteúdos diversos e sempre com palavras honestas, humildes, bonitas de coração e cheias de talento deixam-nos presos ao seu blogue.

Muito obrigada, Andreia! E obrigada a todos vocês por estarem desse lado, pois os nossos blogues não fariam sentido se não tivessem os nossos leitores!



Campo de Batalha


Angústia. Nostalgia. Um peso enorme no peito. E vontade de deixar a vida.

Ela sentia-se cheia de tudo. E tinha o coração tão vazio. Pensou como seria o mundo sem ela: não muito diferente. Achou que a sua presença no cosmos era algo superficial, sem valor. E imaginou como seria se se deixasse cair pelo vento: queria que fosse rápido e indolor – algo que lhe roubasse os problemas e lhe oferecesse motivos para sorrir – pois mais dor ela não conseguiria suportar. O seu coração já tinha sido espezinhado com a força suficiente, vezes suficientes. Já não suportava mais lágrimas a afogá-la diariamente.

Regrediu. E se alguém a empurrasse? Não seria injusto? Talvez. Mas ela queria fazê-lo e não que alguém o fizesse por ela. Sentiu o desejo da vingança se o fizessem, contudo sem saber o porquê de tal fúria. Parou. Pensou. Talvez não fosse aquilo que ela desejava, caso contrário, não se importaria se o fizessem.

Respirou fundo e pensou que talvez estivesse a ter um ataque de desespero e que se poderia estar a precipitar. Caiu em si. Deixou a consciência aterrar na sua pessoa. Ouviu vozes doces que soavam do local onde o céu e o mar se abraçam. Admirou a beleza do olhar mais profundo que lhe ofereceram e recordou momentos em que lhe deram as mãos e não a deixaram cair. Valia a pena por estas pessoas, não as queria fazer sentir miseráveis, que todo o seu apoio fora em vão. Por outro lado, sentia que não era desejada noutros lugares.

O desgosto voltou a invadir-lhe o ser. Essas pessoas que lhe deram as mãos estariam cá para se apoiarem e haveria, certamente, mais gente para os fazer sorrir (melhores do que ela nessa tarefa, segundo o seu pensamento). 

Só queria ouvir a voz do seu filho mais uma vez, sentir-lhe o perfume dos cabelos encaracolados de avelã… e faltava tempo para isso.

Deu um passo em frente e colocou todo o seu peso e força no seguinte. Caiu. Mais morta do que viva. O terror de ver e sentir o fim era ao mesmo tempo tranquilizador. A velocidade com que tudo acontecia, com que caía da arriba, parecia lentificada, quando na verdade foram segundos que voaram. E sentia já o aroma de algodão doce que ficava colado às maçãs do rosto do seu rebento.

Caramba, era longe! As gotas de água salgada que fugiam do embate forte e violento das ondas na falésia colavam-se-lhe no rosto e os raios dourados do sol tardio faziam-nas brilhar, como diamantes, nas suas pestanas negras e pesadas de tristeza e nos seus lábios já sem cor.

Por fim, sentiu. E não se arrependeu. O seu corpo, dolorido e estarrecido pelas batalhas em vida, caiu. Embateu em rochedos. Uma onda cinzenta engoliu-o para as suas entranhas. A sua alma, essa, já se encontrava a sorrir com o seu fruto!



Para além do blogue, podem encontrar a Carolina no Instagram e no Facebook

You May Also Like

25 comentários

  1. Gostei mesmo muito da gaveta da Carolina :)
    Conheço bem esta sensação de estar a beira do abismo e depois o mar deu me a paz que eu estava a precisar :)
    Bjinhosss e boa semana*
    https://matildeferreira.co.uk/

    ResponderEliminar
  2. Texto incrível que encurta o nosso coração e nos rouba o fôlego. Parabéns à Carolina. =)

    Beijinhos e boa semana!

    ResponderEliminar
  3. Se calhar muitas pessoas, mais do que se pensa, já estiveram à beira do abismo. Felizes daquelas que tiveram fora para sair desse abismo, com ou sem ajuda. Gostei muito de ler.
    .
    * Saudade de ter ... Saudade *
    .
    Feliz início de semana
    Bom dia.

    ResponderEliminar
  4. Excelente texto que reflecte muito bem esta sensação de estar à beira do abismo.
    Um abraço e boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
  5. Começar da melhor forma esta iniciativa! :) Já sigo a Carolina e adorei este seu texto ;)

    ResponderEliminar
  6. Vou visitar a Carolina, gostei mesmo muito!
    Beijinhos,
    https://chicana.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  7. Que texto incrível! Bela forma de começar o desafio! :D

    amarcadamarta.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  8. Uau, já vou visitar a Carolina no cantinho dela :)

    https://quase-italiana.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  9. Não conhecia a Carolina, mas terei mesmo de a seguir. Sei bem o que é querer ir para quem mais amamos. Espero, do fundo do coração, que ela não tenha perdido um filho, mas se perdeu: entendo a sua dor. Adorei o texto e acho que não podia ter começado a semana com melhor texto. Beijinhos <3

    ResponderEliminar
  10. E começa a saga das gavetas aberta :P
    Ainda agora começou e já estou a adorar! Parabéns pela ideia Andreia.

    Beijoca,
    santiago | facebook | instagram

    ResponderEliminar
  11. uau só tenho uma coisa a dizer, está fantástico o texto! por acaso já a conhecia e gosto imenso dos textos dela :D Por isso os meus parabéns por este

    Beijinhos,
    DEZASSETE

    ResponderEliminar
  12. Andreia: ;D

    Carolina: gostei muito do texto. Nos dias de desapego de hoje, tenho certeza que esse sentimento de "cheia de tudo" é real pra muitas pessoas (inclusive pra mim)!

    Ótima segunda!

    Beijo! ^^

    ResponderEliminar
  13. Que iniciativa tão fantástica que aqui criaste e que dá a oportunidade de conhecer outros bloggers e de ler textos fantásticos como este da Carolina que já sigo e cujos textos gosto sempre tanto!
    Foi um texto arrebatador com sentimentos que até doem no peito e que nos faz refletir. Gostei muito do texto e das fotografias também :)

    ResponderEliminar
  14. Texto maravilhoso. Muito sensivel. Adorei. 💖💖

    ResponderEliminar
  15. Bom! Eu amei o texto.
    Muito bem escrito, muito sentido,parabéns Carolina.
    Beijinhos às duas :)

    ResponderEliminar
  16. Li a primeira parte,
    do texto de Carolina
    só depois mais tarde
    já no campo de batalha
    a tremer estou aqui ainda
    se a memória não me falha!

    Parabéns Carolina e Andreia,
    continuem, estão no bom caminho
    por aquilo que cada uma anseia
    sem correrias, vão devagarinho!

    Desejo-vos uma boa noite!

    ResponderEliminar
  17. Gostei de conhecer melhor a Carolina! Parabéns às duas pelo projeto que estou a adorar!
    R: É mesmo engraçado, tens de experimentar. A minha parte preferida é a lista de filmes

    ResponderEliminar
  18. Gostei bastante do texto que reflexão, adorei ler esta gaveta da carolina

    http://retromaggie.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  19. Provavelmente, já, todos nós nos sentimos perto do abismo alguma vez na vida...

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  20. Que boa participação!!
    Parabéns Andreia, pela bela iniciativa ;)

    ResponderEliminar
  21. Que participação fantástica!
    Do melhor que já li. Inesperado. Envolvente. Profundo.
    Parabéns Carolina e parabéns Andreia!

    ResponderEliminar
  22. Que talento. Esta Carolina deixa-me sempre encantada e emocionada com a maioria dos seus textos, é um verdadeiro talento na escrita. O texto está forte, pesado, de apertar o coração e fantástico.
    Uma bela forma de iniciar este desafio :)

    ResponderEliminar
  23. Ohhhhhhhhhhh!!!!!!!!
    Meu Deus, não sabem como o meu coração ficou doce e quentinho e mais preenchido ao ler todas as vossas palavras! É tão gratificante saber que o que escrevemos faz sentido e toca alguém, de alguma forma, por mais ténue que seja. Fazer pensar e sentir. Tentar criar uma empatia por outrém, através de uma história, seja ela verídica ou não, tenha ela factos ou mitos.
    Obrigada mais uma vez, Andreia! <3 <3

    ResponderEliminar