Jamestown

Imagem retirada do google

«Passada no início do século XVII, Jamestown conta a história de três mulheres corajosas e dinâmicas»


O AXN criou um slogan bastante sugestivo: «este verão adota uma série». E sendo algo que adoro, foi exatamente isso que eu fiz. Só que noutro canal!

No início de julho, a Fox Life estreou na sua grelha televisiva Jamestown, que retrata a realidade de um tempo longínquo, «em que os ingleses se lançaram na colonização dos Estados Unidos da América, em 1607, criando o primeiro assentamento das margens do rio James, no atual Estado de Virgínia». O texto que serve de guião é fictício, mas sustentado em factos reais, conforme é possível ler no artigo de Luísa Oliveira [aqui]. Além disso, a jornalista também faz referência ao facto de o enredo estar dividido em oito episódios e de se passar numa «terra algo inóspita, escolhida para os colonos porque não era habitada por índios». Jamestown, como assim ficou designada, recebeu «90 mulheres que lá desembarcaram com a missão de se casarem com alguns dos colonos», garantindo, assim, a continuidade do lugar que, aparentemente, hoje se encontra em ruínas. Em Inglaterra ficam «enterradas as histórias destas mulheres», que encontram «à sua frente todo um mundo de possibilidades na terra prometida».

A história centra-se, particularmente, em três mulheres: Jocelyn, Alice e Verity, cujas personalidades fortes e determinadas acabarão por chocar com aquilo que as espera. Apesar de toda a curiosidade que o trailer me provocou, confesso que vi o episódio piloto de mente aberta e sem elevar as expectativas. E, bem, foi uma autêntica surpresa. Pelo argumento tão bem escrito, pelo elenco fabuloso e pelas paisagens arrebatadoras. Pessoalmente, considero que foi uma aposta ganha, porque conseguiram retratar a realidade que serve de base a todo o enredo.

É uma série que levanta imensas questões, sobretudo ao nível de princípios e valores. E há, inevitavelmente, personagens que nos conquistam de imediato, ao mesmo tempo que outras nos causam uma certa repulsa. Em contrapartida, nem tudo é tão linear, porque há, ainda, personagens que nos incitam reações contraditórias, muito por culpa de no início nos parecem uma coisa e depois se revelarem outra à medida que os acontecimentos se sucedem. Muito honestamente, acho que todas estas transformações são um ponto bastante positivo. E uma das razões que nos prende ao ecrã.

A imprevisibilidade é uma constante. E não faltarão reviravoltas, momentos de tensão e, também, motivos para rir. Só espero que haja segunda temporada [e que não demore muito a ser transmitida], porque oito episódios sabem a pouco. E ainda existem muitas respostas para descobrir!



Já conheciam a série? Qual é a vossa opinião?

16 comentários

  1. Tenho visto tão pouca televisão nos últimos tempos que não conheço mesmo :(
    Um beijinho*

    ResponderEliminar
  2. Adoro séries de época, tenho de juntar esta a Victoria e Versailles para ver☺️
    Bjinhosss

    https://matildeferreira.co.uk

    ResponderEliminar
  3. Confesso que não sou fã de séries. Mas recentemente acompanhei a Riviera que era exclusiva MEO e adorei. Estava sempre ansiosa pelas Terças-feiras para o novo episódio. Entretanto já terminou. Tenho saudades :).

    Beijinhos! :*

    ResponderEliminar
  4. Por acaso não conhecia querida :)
    Tenho tantaaas para ver. (Eu faço listas de tudo e elas estão sempre a crescer, vou por esta também) :p

    ResponderEliminar
  5. Já vi a apresentação várias vezes na tv.. tenho de ver um episódio =)
    Beijinhos,
    http://chicana.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  6. Por acaso não sou muito de acompanhar séries...


    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  7. Não vejo muita televisão, não acompanho estas séries mas devem ser interessantes.
    Um abraço e bom fim-de-semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    Livros-Autografados

    ResponderEliminar
  8. Ai adoro filmes e séries passadas em épocas antigas. Sem dúvida que vou experimentar esta!!

    ResponderEliminar
  9. R.: Muito obrigada, linda :)
    Pois, eu lá vejo um filme de quando em quando, mas é raro :P

    ResponderEliminar
  10. Não consigo ver filmes e séries ainda menos. Adormeço e as séries implicam uma certa disponibilidade durante alguns meses. Isso nem seria o maior problema. A box permite gravar e ver quando houver tempo. Mas não me estou a imaginar armado em "pita" a papar séries de enfiada. eheheh
    Eu pago quase 35€ à NOS e se não fosse "a Maria" papar as séries e os filmes todos (ou só os últimos 15 minutos, que ela percebe tudo na mesma eheheh), era basicamente para dormir. eheheh

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não percebi "a parte que te toca".
      A minha Maria não é "pita" e também papa as séries e filmes de enfiada. lol
      E consegue fazer melhor: enquanto vê televisão, tem o portátil à frente e vai "gerindo" o Facebook.
      Mas melhor do que isso, é quando leva a tralha para a cama e vai fazendo bolsas para smartphones, gorros para putos e outras "obras de arte" que depois vende às colegas. Com isso quase ganhava para pagar a fatura da NOS, mas era se não gastasse tudo em trapos e sapatos. eheheh

      Eliminar
  11. na verdaaaaaaade... não vejo séries! aborrecem-me sempre, por mais interessante que me pareça inicialmente ahahah

    r: true story!!!

    ResponderEliminar
  12. Tal e qual, meu anjo. Penso exatamente da mesma forma!

    Sou fã de filmes e coisas de época precisamente pela envolvencia e por a história me parecer mais real. :D
    Tenho de ver se a vejo :)

    NEW REVIEW POST | The First Time I Did: EYEBROW THREADING.
    InstagramFacebook Official PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  13. Muito boa a série, e muito boa a review/post :-)

    Beijinhos
    https://atitica.wordpress.com/

    ResponderEliminar