O que li por aí #8


«Meus pensamentos são estrelas que eu não consigo arrumar em constelações», John Green

Comentários

  1. r: Pois, não sei o que se passa -.- é que essa publicação já é de há uma semana atrás... não sei porque raio está a aparecer agora....

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. É daquelas citações que vale a pena guardar.
    r: Muito obrigada querida. Sempre que precisar venho aqui chatear-te um bocadinho e tu sente-te à vontade para qualquer coisa que precises <3 és uma pessoa muito doce.

    ResponderEliminar
  4. resp: eu também acho querida, bom fim de semana :)

    ResponderEliminar
  5. Gostei da frase, mas adorei a imagem.

    Obrigada, minha querida, muito obrigada. <3

    ResponderEliminar
  6. Eu acabei de criar o meu. Dás-me o link do teu para eu seguir? :')

    ResponderEliminar
  7. r: correcto, acho que a escolha que está sempre certa somos nós. Sendo fiéis a nós mesmos poderemos ser fiéis a tudo o que quisermos. A sério?? Já voltou ao normal?? Finalmente, e eu nem fiz nada eheh o meu blogger ultimamente tem destas pancadas que me tiram do sério!

    ResponderEliminar
  8. Não conhecia esta citação ;)

    http://retromaggie.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  9. John Green sendo perfeito. Como adoro essa citação e todo o livro que a envolve!!

    ResponderEliminar
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  11. Minha querida Andreia,

    Tinha 2 blogs abertos e troquei os comentários.

    Desculpa, devo andar cansada ou então é a idade...

    os pensamentos são-me amigos e inimigos.

    Não me consigo livrar deles e muito menos arrumá-los em constelações, por vezes nem chegam a ser estrelas.

    Ando numa fase mais negativa, desculpa-me, sim?

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  12. Oi, bom tudo, Andreia
    Eu vim aqui, nesta noite de sábado, lhe trazer um verso, para você, refletir conosco:
    I
    Lágrimas despejadas, amargas, em desobrigas de ir embora.
    E já não basta terços, rezas e patuás, que outrora consolava
    Em rodas de ritos, a cólera maldita, assobiante com o ebola
    Agride a terna Mãe África, desesperada, pelos filhos, chora.

    Um abraço

    ResponderEliminar

Enviar um comentário