«A história emocionante destas duas meninas vai deixar-te a suar dos olhos»

By Andreia Morais - novembro 30, 2013



«Hoje em dia todos sabemos que o Skype é essencial para quem quer manter o contato à distância. Mas a empresa quer mostrar que serve para mais do que isso e que é mesmo capaz de transformar as vidas das pessoas, para melhor.
A campanha “Stay Together” conta a história de duas mães em continentes diferentes, que entraram em contato por email quando souberam que ambas esperavam bebés que iam nascer sem um dos braços.
Anos depois da troca de emails, as meninas conheceram-se através do Skype e mantiveram-se em contato diariamente, partilhando experiências, dificuldades e sucessos. Durante os 8 anos seguintes as adolescentes tornaram-se melhores amigas sem nunca se terem encontrado ao vivo.
Até que o Skype foi mais longe e proporcionou o primeiro encontro destas duas jovens. Ver o percurso das duas meninas e o momento em que se encontram pela primeira vez é receita certa para verteres umas lágrimas» (aqui).



Há histórias que nos conseguem encher o coração. Pela coragem que transmitem. Pela luta que travam diariamente. Pela força de vontade que se mantém. Pela superação de dificuldades. Por nunca terem desistido de viver. E as histórias de vida fantásticas só são possíveis porque partem de pessoas ainda mais extraordinárias. 

É inevitável não questionar «e se fosse comigo? Connosco?». Certamente que reagiríamos de maneira diferente. E é ainda mais certo que lutaríamos com outros recursos, outra vontade, ou necessidade. Precisamente por sermos todos diferentes. Só que, no fundo, estaríamos a lutar pelo mesmo: a nossa vida.

Os dias não são todos iguais. Não é novidade para ninguém. Há dias em que nos sentimos capazes de conquistar o mundo. Assim como há outros em que não nos apetece mexer um fio de cabelo sequer por nos sentirmos derrotados. Mas há sempre algo em nós, como se uma força se entranhasse nas nossas veias, que nos obriga a continuar. Pelos nossos. E principalmente por nós. 

Histórias assim deixam-nos mesmo de lágrimas nos olhos. Mas são lágrimas boas. De felicidade. Por sabermos que há alguém, mesmo que seja do outro lado do mundo, que enfrenta todas as adversidades e consegue vencer. E continuar. E lutar. E sorrir. E isso inspira-nos a ser melhores, a lutar sempre com mais força. Por nós. E por eles, que nos dão uma lição de vida. Por eles, que nos mostram o quanto nos preocupamos com coisas supérfluas, enquanto eles não baixam os braços quando à sua frente aparece um muro de dificuldades. 

Ontem, enquanto estava nos 19º Encontros Luso-Galaicos-Franceses do Livro Infantil e Juvenil, ouvi Vergílio Alberto Vieira dizer que era um ladrão de pedras, porque apanha todas as que encontra no caminho. E eu acho que estas pessoas também são assim: ladras de pedras. Porque são capazes de não parar quando uma lhes aparece no caminho. Apanham-na, passam-lhe por cima, dão um pontapé... Isso fica ao critério de cada um. A verdade é que não se sentam em cima de nenhuma à espera que a vida lhes passe à frente. É que talvez pensem «Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo». E se pensam assim, pensam bem. Quanto a mim, iria adorar ver esse castelo coberto de vitórias. E histórias como esta. 

Tentem não ficar emocionados. O que eu acho pouco provável, mas é por uma ótima causa. Aqui fica o vídeo: 



«Alguém já sentiu que a sua vida mudou graças ao Skype?». Conhecem alguma história como esta? Ou parecida? Partilhem, vou adorar ficar a conhecer!

  • Share:

You Might Also Like

11 comentários

  1. Olha arrepiei-me toda, que história fantástica.

    ResponderEliminar
  2. Uauuu! adorei , para variar :)
    encontras cada coisa fantástica!

    R: também tenho quase tudo no meu vestuário, eheh Obrigada! Beijinhos ** :)

    ResponderEliminar
  3. Sinceramente, gosto mais deste teu canto, mostra um lado mais generalista. Mesmo assim o outro tem a vantagem das panquecas e o chá. :P
    Realmente é uma história que serve de inspiração e que tomara eu ter tanta genica como aquelas duas miiúdas para ginástica e desportos radicais. xD Fiquei quase quase a deitar a pinga.
    Adiante... O ser humano está sempre a pensar e a pensar no que é melhor, depois piora ou realmente melhora.
    Adiante...

    ResponderEliminar
  4. r: vou confessar que és um género de "anjo da guarda", não sei, talvez uma espécie de amiga, porque ajudas imenso com as palavras, pode não parecer, mas sinto-me super bem quando me dás palavras de apoio, sei que não és a única mas deve ser porque não tens o blog como "anónimo", agradeço imenso e sempre que quiseres falar, podes falar :)

    ResponderEliminar
  5. Que história emocionante :') É tão bom conhecer histórias destas. São inspiradoras.

    ResponderEliminar
  6. eu gostei imenso do "A Lista dos Meus Desejos", apesar de ser uma história muito simples que nada se compara um livro, por exemplo da Jane Austen, é algo na qual, de certa modo, nos revemos, por ser tão atual e principalmente para quem é blogger, já que a Jocelyne também o é :)

    Fico ainda mais feliz por saber que gostaste da forma como estruturei, no fundo, a minha opinião do livro, em modo "cusquice"!

    Se por acaso o comprares gostarei de saber qual é a tua opinião...
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  7. sempre certeira, Andreia :) muito obrigada pelas tuas palavras, beijinho**

    ResponderEliminar
  8. Ahahah, eu também fiquei parva dos olhos quando descobri!! Fiquei do tipo "será mesmo?! nahhhh!", mas afinal é mesmo verdade :)
    sabes, acho que às vezes devemos dizer coisas da forma que nos sai mais facilmente, mesmo que saiam expressões mais matrafonas, essas se calhar até são as melhores, são as que são mesmo, mesmo nossas e que descrevem melhor a forma que somos...
    estou a ver que vou ser a tua ruína!! mas quando se apanha umas promoçõezitas lá dá para saciar um espacinho da estante dos livros.

    beijinhos (é sempre bom ter-te lá no Dear Jonny Books)

    ResponderEliminar